Muitos dizem e acreditam que anjos passam na vida da gente. São pessoas comuns, não celestiais e sem asas, mas surgem e nos dão a certeza do quanto são importantes.

Em meio a um mundo de interesses individuais e a busca desenfreada pela satisfação/ambição financeira, quando encontramos alguém que realiza algo sem pretensão de retorno e tem um olhar para o outro, Grasy Martins, com certeza é um desses anjos sem asas.

Ela não pode voar, porém pela dança, uma arte de puro movimento – também aquece o coração e a alma, Grasy criou um lindo projeto que transformou a vida de crianças e adolescentes, em Capivari de Baixo.

“Fazer Ballet é o sonho de muitas crianças, mas nem todas têm a oportunidade por questões financeiras. Com intenso desejo e persistência, a Cia dos Anjos virou realidade e de forma gratuita. É uma grande alegria ver o sorriso em minhas alunas, o prazer que sentem, vê-las dançando não tem preço que pague”, emociona-se a professora.

Ela revela que levar o Ballet a essas meninas a tornou um ser humano melhor, sente muita gratidão, e por isso lutará sempre por igualdade social. “Precisamos dar oportunidade a todos”, destaca.

 

Outro anjo sem asas apareceu!

A Cia dos Anjos, existente há sete anos, beneficia atualmente 90 alunas, é aberta a todas as escolas da rede municipal. As aulas são realizadas em períodos contraturno e atende crianças e adolescentes entre 4 e 14 anos.

Para o sonho ser conquistado, outro anjo sem asas apareceu. “Tive o apoio da professora Carla Xavier, diretora da Escola Dom Anselmo Pietrulla, que me cedeu um espaço onde acontecem as aulas. Nós duas desenvolvemos esse belíssimo projeto”.

O projeto pode abraçar mais alunas, há vagas, mas ainda sem previsão de volta por causa da pandemia. Interessados podem entrar em contato por meio do número de telefone (48) 99843-2510.

 

Arte das meninas ‘voa’ por vários lugares e pais são grandes apoiadores

O trabalho da Cia dos Anjos e o talento das alunas são conhecidos na cidade e até fora. Uma mostra de dança é realizada todo fim de ano para pais e o público no Parque Ambiental Encantos do Sul.

 

 

Mas a arte das meninas ‘voa’ por vários lugares. “Nossas apresentações são feitas com muito carinho e dedicação. Somos sempre convidados para participar de eventos na cidade e também em outros municípios. Os pais, principalmente, são grandes apoiadores em tudo. Somos muito próximos, amo cada um deles”, conta a professora.

 

Além disso, por meio do projeto, as alunas também conseguem projeção e a chance de ir longe. Como foi o caso de uma das meninas que ganhou uma bolsa de estudos com aulas totalmente gratuitas.

“Em uma de nossas apresentações estava a Sonia Severo, dona do Estúdio de Dança em Tubarão, foi um prazer ver uma aluna minha alcançar essa conquista”.

 

A integração além da dança

A integração das meninas vai muito além da dança. Confraternização de fim de ano, festa do pijama, entre outros, são promovidos.

“Com o apoio dos pais e da professora Carla, que virou minha comadre, temos um enorme prazer em proporcionar esses momentos às alunas, algo que também consideramos muito importante para o desenvolvimento das meninas”, enfatiza Grazy.

 

Longe sim, desconectadas nunca: “Saudades do ‘Eu te amo’, dos abraços apertados, mas com esperança de dias melhores”

Em função da pandemia, as aulas de dança ainda estão suspensas. “Mas nunca deixamos de nos manter conectadas. Estou com saudades do ‘Eu te amo’, dos abraços apertados, mas com a esperança de dias melhores”.

Um lindo vídeo foi feito em homenagem à Independência do Brasil, cada uma de sua casa, já que nesse ano os desfiles foram cancelados.

 

Veja abaixo as fotos do desfile cívico do ano passado:

 

Grazy com a aluna Emily

Quem é Grazy?

Grasy Martins tem 29 anos, sempre morou em Capivari de Baixo. O gosto pela dança surgiu quando muito pequena, aos 4 anos quando começou a fazer ballet.

Desde então nunca parou. Ela fez cursos de dança em cidades em Santa Catarina, inclusive em Joinville, e cursa atualmente Educação Física, está no 6º semestre. Chegou a fazer pedagogia, mas desistiu porque o amor pela dança ‘falou mais alto’.

Grazy é professora de artes na rede municipal de ensino, de onde tem sua renda financeira. Ela é casada, mamãe de um menino e uma menina. Seu maior sonho? Ter uma sala própria, adaptada para continuar construindo sonhos e levando sorrisos.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul