Orleans

O temporal deste domingo deixou um rastro de destruição em Orleans, como o Notisul antecipou ontem. Agora, após uma vistoria feita por profissionais da prefeitura, os prejuízos são muito maiores do que o inicialmente verificado.

Encostas de morros deslizaram e ruas ficaram interditadas. O caso mais complicado é na estrada que liga o município a Pedras Grandes. Além de muita terra e pedras, várias árvores também rolaram sobre a pista, de chão batido. A prefeitura trabalha com duas máquinas, caminhões e vários operários com foices, pá e moto-serras para desobstruir o caminho.

A previsão é que a estrada seja liberada amanhã. Segundo os moradores mais idosos das comunidades de Taperinha e Pindotiba, que residem às margens da estrada, os estragos foram maiores do que os registrados na enchente de 1974, quando toda a região ficou debaixo d’água.

A equipe técnica da prefeitura ainda percorre o município para ter uma noção exata da catástrofe. “Os prejuízos são incalculáveis neste momento. Vamos precisar de ajuda para recuperar as estradas, principalmente. Os acessos estão precários desde o ano passado, quando decretamos situação de emergência. Até agora não recebemos nem um centavo”, lamenta ”, lamenta o prefeito Jacinto Redivo (DEM), o Tinto.

Novo alerta é emitido

Quem espera por dias sem chuva, pode perder as esperanças pelo menos essa semana. A Defesa Civil do Estado emitiu novo alerta meteorológico ontem. Uma nova frente fria pelo sul do Brasil, associada a um ciclone extratropical. No sul de Santa Catarina, há risco de temporal com rajadas de vento de até 80 quilômetros por hora. Há possibilidade, ainda, de granizo isolado. A estimativa é que chova entre 40 e 50 milímetros até a sexta-feira. Em Tubarão, qualquer problema deve ser comunicado à Defesa Civil Municipal pelos telefones 3622-8002 e 3628-4377.