#PraCegoVer Na foto, uma pessoa confere o nível do Rio Tubarão
O nível do Rio Tubarão é acompanhado das calçadas pela comunidade, que tem medo de uma nova enchente - Foto: Marcelo Becker | Prefeitura de Tubarão | Divulgação

A memória da destruição da cidade por conta da enchente de 1974 ainda é muito viva na memória dos moradores de Tubarão. Ao longo de toda esta terça-feira, as pessoas se aglomeraram nas margens do Rio Tubarão. Todos observam atentamente o nível da água e temem por uma nova tragédia. Na tentativa de evitar o pior, a Prefeitura de Tubarão preparou um decreto de situação de emergência e colocou toda a estrutura física e pessoal à disposição da Defesa Civil para auxiliar a população. A decisão foi tomada por volta das 21 horas desta terça-feira, após uma série de reuniões de avaliação não apenas das ocorrências registradas na cidade, mas também nas cidades vizinhas. O Rio Tubarão, recebe água de quase todos os outros mananciais da região e, por isso, a continuidade da chuva, em especial na Serra e no Vale do Braço do Norte, pode impactar diretamente aqui.

#PraCegoVer Na foto, um grupo de pessoas reunidas
Em reunião na noite desta terça-feira (3), Prefeitura deixou um decreto de emergência pronto. Um plano de evacuação emergência de moradores e dos detentos das unidades prisionais também foi articulado com as forças de segurança – Foto: Prefeitura de Tubarão | Divulgação

Somente nesta terça-feira, a Defesa Civil confirmou que o volume acumulado de chuva nas últimas 24 horas foi de 150 milímetros. Para esta quarta (4) e quinta-feira (5) é previsto o dobro disso. Com isso, a possibilidade de que o Rio Tubarão transborde entre o fim da noite desta terça-feira e a madrugada desta quarta-feira (4) é iminente. Abrigos para receber as famílias que estão em áreas de risco, como os bairro Madre e Bom Pastor, já começaram a ser organizados. Não está descartado que uma ação de evacuação emergencial a qualquer momento. Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Exército e Departamento de Administração Prisional (Deap) também integram o grupo gestor. Existe, inclusive, um plano de evacuação das unidades prisionais. Além dos acessos já estarem bastante difíceis, ambas ficam no bairro Bom Pastor, uma das maiores áreas de risco da cidade.

“A prioridade é salvar vidas, proteger a população. E para isso estamos colocando toda a estrutura do município à disposição da Defesa Civil para essa missão. Os serviços essenciais continuarão funcionando, mas em primeiro lugar vamos cuidar da vida e da segurança das pessoas. Quem sentir que está correndo perigo pode se abrigar na casa de familiares”, destaca o prefeito Joares Ponticelli. Ao todo, o município tem 12 locais mapeados para servirem de abrigo. Os primeiros a serem utilizados serão o Ginásio de Esportes Paulo Jacob May, no Humaitá, e a Arena Multiuso Prefeito Estêner Soratto da Silva, no bairro Aeroporto. Nesta tarde, a prefeitura também já agilizou encaminhamentos com fornecedores para ter à disposição lonas, telhas, madeiras, produtos de limpeza e outros itens para auxiliar as famílias que possivelmente tenham sofrido prejuízos ou danos materiais com as chuvas e alagamentos.

Alagamentos em todo o município
Ao longo da tarde desta terça-feira (3), a chuva se intensificou e causou alagamentos em praticamente todas as partes da cidade. Na área urbana o ponto mais crítico é no Humaitá. A Avenida Padre Geraldo Spettmann (da Rodoviária – apenas referência) e as ruas próximas ficaram alagadas devido a um problema em uma das bombas do sistema de macrodrenagem. O problema foi solucionado, mas ainda este bastante água acumulada na pista e nas ruas adjacentes. Os bairros mais vulneráveis neste momento são Madre, Bom Pastor, Fábio Silva, São João e Guarda. Neste locais existem inúmeras ruas alagadas, Na Guarda, a ponte pênsil foi interditada por não oferecer condições de segurança aos moradores. 

#PraCegoVer Na foto, um deslizamento de terra
Na comunidade do Sombrio, um deslizamento de terra foi registrado nesta terça-feira. O local já foi liberado – Foto: Prefeitura de Tubarão | Divulgação

Neste locais existem inúmeras ruas alagadas. Também houve o registro de um deslizamento de terra na Estrada Geral do Sombrio e na comunidade de rio do Pouso. Na saúde, as Unidades Básicas de do Centro/Vila Moema, Sertão dos Corrêa e Bom Pastor precisaram ser fechadas devido aos alagamentos. As aulas seguirão suspensas pelo menos até esta quinta-feira, quando nova avaliação de risco será feita. A preocupação do município é quanto aos alagamentos e também o transporte dos estudantes, que pode ser perigoso, em especial nas estradas do interior.

Fonte: Defesa Civil e Prefeitura de Tubarão
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul