Serão sete dias de muita oração a partir deste domingo (9) até o próximo dia 16. Essa é a proposta do Cerco de Jericó, promovido pela Paróquia da igreja matriz São João Batista, em Capivari de Baixo. O evento, que chega à sua 4ª edição neste ano, concentra milhares de católicos que rezam, todos os dias e noites, por diversos pedidos particulares e comunitários.

O Cerco de Jericó é uma referência à passagem bíblica do livro de Josué (6,1-20), no Antigo Testamento, que narra a história da cidade homônima. Cercada de muros, Jericó tinha sido fechada diante dos israelitas e ninguém podia entrar ou sair dela. Atendendo ao chamado do Senhor, Josué ordenou ao povo que rezasse e que dessem voltas em torno das muralhas. Após sete dias e sete noites de intensa oração, ao som de trombetas, os muros caíram e o povo, finalmente, pode tomar a cidade.

Hoje, os fiéis se colocam diante da presença de Jesus na Eucaristia e, depositando seus pedidos e preces, clamam para que as muralhas que os impedem de viver uma vida santa e feliz possam ser derrubadas. O evento é um costume que surgiu em 1979 na Polônia, com o Papa João Paulo II rezando o terço rosário com o Santíssimo Sacramento.

Muitos visualizam no Cerco uma oportunidade de as pessoas curarem feridas anteriores, traumas, medos e, assim, alcançarem a salvação de suas almas. No caso daqueles que já desenvolvem a fé dentro da comunidade, este é um período propício para fomentar o crescimento espiritual.

No último dia, a cada volta será reproduzido o som de da trombeta, recordando que o instrumento foi tocado quando o povo eleito de Deus completou o círculo diante dos muros da cidade de Jericó. Cada volta serve para um pedido e uma bênção especial.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul