Tubarão

A implantação do Controle de Controle do Zoonoses (CCZ) de Tubarão agora é responsabilidade do departamento de Vigilância Epidemiológica da prefeitura. As nove baias construídas no horto municipal abrigarão apenas os cães do próprio local.
Os outros 350 animais que vivem em casas particulares e são assistidos por voluntários e por membros da ONG Movimenta-Cão, terão que aguardar mais tempo.

Ainda não há data de quando as outras etapas começam a ser feitas. Tubarão nunca teve nenhuma estrutura ou projeto para minimizar o problema dos animais de rua. Desde o ano passado, com a criação da ONG, um trabalho neste sentido foi possível, ainda que não seja a resolução do problema, como lembra o presidente entidade, Francisco Beltrame.

Os R$ 40 mil repassados à ONG pela prefeitura foram ‘transformados’ em 17 toneladas de ração, distribuídas aos cuidadores, e na castração de 120 animais. Além disso, as cinco feiras de adoção serviram para tirar 159 cãezinhos das ruas. “Nossos recursos estão chegando ao fim e não gostaríamos de renovar o convênio sem ter uma solução definitiva”, pondera Beltrame.