Arqueólogos descobriram parte de um cemitério de milhares de anos perto das famosas pirâmides do Egito, no planalto de Gizé, perto do Cairo.

O cemitério abriga poços funerários e tumbas de funcionários do alto escalão do poder local. O artefato mais importante descoberto desta vez foi uma estátua de pedra calcária do dono da tumba, sua esposa e seu filho, que remonta à quinta dinastia (2465-2323 aC), disseram autoridades.

Ashraf Mohi, chefe do sítio arqueológico, disse que era conhecido que o cemitério havia sido reutilizado extensivamente no Período Tardio (664-332 aC). Arqueólogos encontraram caixões antropóides de madeira pintados e decorados, além de máscaras funerárias de madeira e argila daquele período.

O Egito fez uma série de descobertas arqueológicas recentemente, na esperança de que essas descobertas estimulem o turismo, abalado após a agitação social que sucede os grandes protestos da Primavera Árabe, em 2011.

O secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Mostafa Waziri, disse que o túmulo pertencia a dois homens.