Foi por uma promoção via redes sociais que um casal de Trombudo Central, no Vale do Itajaí, virou personagem da nova propaganda da cerveja Brahma.

Moacir Marcos Geremias, 49, e Cátia Regina Marangoni Geremias, 48, casaram em 1992. A festa, segundo ela, foi algo mais simples e intimista, um momento que guarda com muito carinho.

A filha, que tem 25 anos, ao ver a promoção da cerveja – que pediu para os internautas mandarem fotos em que demonstrassem que a bebida fazia parte de suas vidas há muito tempo -, logo lembrou das fotos de casamento dos pais.

Em uma delas, aparecem Moacir e Cátia, jantando após a cerimônia religiosa, e acompanhados de uma garrafa de Sukita e outra de Brahma sob a mesa.

Se você imaginou que ele estaria bebendo a cerveja, e ela o refrigerante, errou.

Nesse momento em especial, era Cátia quem tomava a Brahma, e aí surgiu uma imagem que funcionava bem para os dias atuais. Algo que representa o empoderamento feminino trilhando seu caminho já na década de 1990.

“O Moacir bebe, mas não sei porque naquele momento ele preferiu o refrigerante. Deu um ar de empoderamento, né?! (risos)”, explica a mulher.

A foto foi postada, e no dia seguinte a equipe que estava produzindo a propaganda para a Cervejaria Ambev entrou em contato com a moradora de Trombudo Central.

“Primeiro, achei que fosse trote. Era um telefone de código 11, e aqui quando ligam ou é cobrança ou é de presídio, por isso, ignorei”, comenta Cátia.

Mas a produtora foi persistente, tentou novamente por um aplicativo de mensagens, e conseguiu o contato com a catarinense.

Na primeira conversa Cátia achou que não participaria da propaganda, pois considerava o marido tímido para aparecer na televisão, mas a realidade foi bem diferente. Moacir topou na hora, e achou a proposta bem bacana.

Após o acerto dos últimos detalhes, eles partiram para São Paulo no final de fevereiro.

Resgate na história de amor

Já no set de gravação, o casal ainda não acreditava que apareceria na televisão. Para Cátia, ainda era um teste para ver se ficaria legal a história.

Mas não, todos os aguardavam para a gravação final, para voltar ao passado, no momento em que Cátia e Moacir decidiram unir suas vidas e celebrar o amor. Até o vestido de noiva a produtora paulista havia providenciado.

“Eles montaram tudo como era, a salinha como estava na foto. Meu casamento foi muito simples, mas ao ver aquilo, até me emocionei. Foi como voltar no tempo”, coloca ela.

O casal curtiu o quanto pode o bate-volta para São Paulo, registrou tudo no álbum de fotos do celular e nas redes sociais e retornou para a pacata Trombudo Central cheio de histórias para contar e, claro, com um gostinho de fama.

Cátia afirma que a imagem da foto pode ser refletida na vida a dois quase 30 anos depois: ele, que é um ótimo cozinheiro, e ela, que não sabe cozinhar mas coloca a cerveja para gelar e arruma a mesa.

A cerveja continua fazendo parte de sua vida, dos eventos em família, das comemorações. “A cerveja é isso, serve para confraternizar e marcar momentos positivamente”, finaliza.