Foto: Prefeitura de Capivari de Baixo

A Prefeitura de Capivari de Baixo, por meio da Central de Atendimento ao Cidadão e Núcleo do Bem-Estar Animal, realiza, há cerca de dois meses, o encaminhamento para castração de cães e gatos executada por uma clínica veterinária credenciada, após licitação aprovada recentemente.

Famílias de renda com até três salários mínimos e as inscritas no CadÚnico ou no Bolsa-Família têm direito ao serviço gratuitamente. Para isso, é preciso apresentar o comprovante de renda da família, CPF, RG, título de eleitor, comprovante de residência e foto do animal de estimação. O trabalho também é ofertado a protetores independentes.

Ademais, cães e gatos de rua são castrados. O trabalho é contínuo e outros detalhes podem ser sanados na Central de Atendimento por meio do telefone (48) 3623-4002, ou no endereço: rua Tarcísio Vilela, 583.

“Castrar é um ato de amor e de responsabilidade não só individual, mas também no coletivo, pois previne ninhadas indesejadas. É comum que os filhotinhos acabam abandonados ou em situação de maus-tratos, o que desencadeia diversos problemas para a cidade, como sujeira nas vias públicas e condições sanitárias mínimas e risco de zoonoses”, observa a coordenadora do Núcleo do Bem-Estar Animal de Capivari de Baixo, Gislene Aparecida Agostinho. Ela ainda destaca que o ato é um incentivo à adoção aos animais de rua, como ocorreu recentemente em um dos casos.

Uma das grandes defensoras da causa no município é a vereadora Heloisa Cardoso dos Santos Pereira, que solicitou a implantação do Núcleo. “O processo para a criação e execução do projeto de castração para os animais é algo complexo. Durante três meses, conversamos com protetores, médicos veterinários e especialistas em legislação municipal e, com a ajuda de todos, conseguimos criar e apresentar um projeto fundamentado ao prefeito (Dr. Vicente Costa), que no mesmo momento demonstrou interesse, acolhimento e se disponibilizou a ajudar no que fosse necessário, para que a cidade contasse novamente com o serviço de castração comunitária de nossos animais”, detalha a edil.

Ela complementa afirmando que hoje fica imensamente feliz em ver que o projeto foi aceito pelo Executivo, mais ainda em ver o serviço funcionando. “Posso afirmar que tudo isso é fruto de muito trabalho e dedicação, em conjunto, já que sozinhos nada podemos fazer. Sempre serei grata por todos aqueles que me auxiliaram com a causa”, agrega a parlamentar.

Para o prefeito Dr. Vicente Costa, este controle de natalidade dos animais resulta em mais segurança na saúde da população, principalmente com a contenção da população de cães e gatos de rua.

“Ainda precisamos avançar neste controle de zoonoses, e vamos! Contamos com o apoio dos moradores para que denunciem se flagrarem maus-tratos contra os animais, como por exemplo, o abandono – muito conhecido como ato de degradar”, orienta o prefeito. Quem observar alguma ação neste sentido pode ligar diretamente para o 190, da Polícia Militar, ou o fixo (48) 3623-4997, da Guarda Municipal.

Por que castrar seu animal?

A castração prematura reduz consideravelmente o risco de a cadela desenvolver tumores de mama; previne doenças sexualmente transmissíveis e doenças reprodutivas, como cistos ovarianos (em fêmeas), hiperplasia prostática (aumento da próstata em machos); além de excluir completamente a possibilidade de piometra (infecção no útero em fêmeas).

A castração também diminui quase que totalmente as chances de tumores perianais, estimulados pela testosterona, e que ficam raros em cães castrados entre 7 e 8 meses de idade; e também evita a procriação e crias indesejadas por donos.

Quais são as doenças consideradas zoonoses?

As mais comuns são: Brucelose, raiva, salmonelose, listeriose, tuberculose, toxoplasmose, leptospirose, sarna, hidatidose, larva migrans cutânea (bicho geográfico), febre amarela, dengue, tifo, malária e doença de Chagas.