Zahyra Mattar
Tubarão

As conclusões da Comissão Especial de Inquérito (Cei), instituída pela câmara de vereadores de Tubarão para investigar as denúncias contra o vereador Geraldo Pereira (PMDB), o Jarrão, não serão deliberadas hoje em plenário, conforme previsto há 15 dias.

Hoje, venceria o prazo para outro parecer, conforme solicitação do presidente da casa, João Batista de Andrade (PSDB), o Sargento Batista: o da comissão de justiça e legislação. Batista quer o aval de que o parecer da CEI está dentro da legalidade. E justamente as questões legais embasarão o requerimento a ser apresentado hoje pela vereadora Albertina Terezinha Carvalho (PSDB), a Beth Xuxa.
Ela e o colega Edson Firmino (PDT), também membro da comissão de justiça, pedirão a prorrogação do prazo. “Quero um parecer do jurídico da câmara. O meu dei enquanto membro da CEI, e não mudará”, informa Beth.

É provável que seja fixado um prazo de mais 15 dias para a manifestação do jurídico da casa. Com isso, o documento elaborado pela CEI não deverá ser votado antes do próximo dia 4. Caso seja aprovado em plenário, será analisada a possibilidade de instauração de uma comissão processante.
Conforme o relatório da CEI, ficou sugerido que Jarrão devolva os R$ 4.300,82, gastos em diárias, passagens aéreas e inscrição para o curso que ele deveria ter feito no Recife, em julho.