São Paulo (SP)

Anna Carolina Jatobá, madrasta da menina Isabella Nardoni, 5 anos, e o pai da criança, Alexandre Nardoni, foram soltos na tarde desta sexta-feira. “Eu não sou assassina”, disse Anna Carolina, ao deixar a delegacia.

O casal foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito. O exame é feito para garantir que o preso não foi submetido à tortura nem à tratamento desumano ou degradante. São realizados dois exames, um antes da prisão e outro após a pessoa ser libertada.

O desembargador Caio Canguçu de Almeida, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, concedeu nesta sexta-feira o habeas corpus ao casal, Alexandre Nardoni e Anna Carolina, investigado pela morte de Isabella. A decisão poderá ser ainda questionada no Superior Tribunal de Justiça.

Isabella foi encontrada ferida, no sábado, dia 29 de março, no jardim do prédio onde moram o pai e a madrasta, na zona norte de São Paulo. Segundo os bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao pronto-socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da zero hora.

Há suspeitas de que ela tenha sido atirada da janela do apartamento do casal, no 6º andar do edifício.
Depois de sair do IML, os dois foram para a casa do pai de Alexandre Nardoni, em São Paulo.