Brasília (DF)

Com a prisão temporária decretada, o pai e a madrasta da menina Isabella Oliveira Nardoni, 5, que morreu no fim da noite do último sábado após cair do sexto andar de um prédio, chegaram por volta das 18 horas de ontem ao 9º Distrito Policial, na zona norte de São Paulo.

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá se apresentaram por volta das 17 horas no fórum de Santana e, depois, foram encaminhados à delegacia.
Isabella foi encontrada com parada cardiorrespiratória no jardim do prédio onde mora o pai. Segundo Alexandre, ela teria sido jogada, supostamente, por algum desafeto seu.

A prisão contra o casal foi decretada quarta-feira, por 30 dias pelo juiz Maurício Fossen, da 2ª vara do júri.
Alexandre e a atual mulher decidiram falar sobre o caso pela primeira vez ontem, segundo cartas exibidas. O pai diz que o seu “mundo acabou” com a morte da filha e que está sendo condenado por algo que não fez.

Na versão apresentada à Polícia Civil, o pai de Isabella afirmou ter chegado de carro ao edifício onde mora, com os três filhos dormindo, no sábado à noite. Ele disse ter levado Isabella para o apartamento e retornado à garagem para ajudar a mulher com os outros dois filhos.

Quando voltou ao imóvel, Alexandre teria encontrado a luz acesa e percebido que a menina havia desaparecido. Ele teria, então, visto um buraco na tela de proteção da janela do quarto ao lado e Isabella deitada no jardim. Os bombeiros tentaram reanimar a menina por 34 minutos, mas não conseguiram.