Tatiana Dornelles
Tubarão

A pequena Débora Linhares, cinco anos, sofre de insuficiência renal crônica e está internada há dois meses no Hospital Joana de Gusmão, em Florianópolis. Ela não pode ser transferida para Tubarão por falta de um local adequado, com higiene, para dar continuidade ao tratamento. O caso da menina foi mostrado há cerca de duas semanas pelo Notisul.
Além da falta de um especialista em nefropediatria na Amurel, outros problemas ajudam a impedir a vinda da garotinha para Tubarão, onde os pais residem. Semanalmente, a família precisa viajar para a capital e a mãe é sua acompanhante no hospital.

“A casa em que a família mora aqui é precária, não tem um local adequado para acomodar Débora. Fui na assistência social ontem (terça-feira) e disseram que vão ao local, além de cadastrarem a família na secretaria. Mas quando vão construir uma casa?”, indaga a voluntária do Sociedade Amigos Transplantados e Insuficientes Renais da Amurel (Satira), de Tubarão, Terezinha Paulino Coutinho.

Agora, outro problema enfrentado pela família é o da falta de medicamento para Débora. “O Sistema Único de Saúde simplesmente cortou o medicamento de Débora e custa R$ 700,00. A família não tem de onde tirar. Minha preocupação é com a criança e as pessoas parecem não entender a gravidade da situação”, relata Terezinha.
Segundo a secretária de assistência social da prefeitura, Vera Stüpp, uma assistente social foi à casa da família ontem. “A prefeitura contribuirá com o que for preciso para que Débora possa ficar em um local adequado aqui em Tubarão”, garante Vera.

Ajuda com remédio
Quem puder ajudar de alguma maneira a família de Débora, pode entrar em contato com Terezinha através do telefone (48) 3626-4648 ou 9996-0958.

Casa de Luiza de Jesus será construída em breve
Dona Luiza de Jesus (foto), 83 anos, espera ansiosa pela construção da nova casa no lugar da atual, no bairro São Martinho, em Tubarão. O sonho de ter a moradia reconstruída virou realidade através do Movimento de Irmãos de Humaitá, que, sensibilizados com a história contada com exclusividade pelo Notisul, resolveram se empenhar e ajudar.

Os trabalhos só não iniciaram ainda devido às chuvas ocorridas na última semana. A intenção do grupo era começar os trabalhos no sábado, o que não foi possível por causa do tempo ruim.
A prefeitura, segundo a secretária de assistência social Vera Stüpp, tem acompanhado com atenção o caso e tentado contato com a família, para que a ‘assuma’. “Uma assistente social está em contato com a família de dona Luiza. Faremos o possível para ajudar”, garante Vera.

Casa
A casa de madeira em que reside a pensionista está com buracos no assoalho e o forro comprometido, o que coloca em risco a vida da senhora.
O Movimento de Irmãos de Humaitá foi o primeiro a se prontificar a auxiliar dona Luiza. O grupo passou a doar, mensalmente, cestas básicas para a pensionista. Além disso, conseguiu também arrecadar materiais de construção (madeiras, telhas, entre outros) para começar a construir a nova residência, além da mão-de-obra.

Entenda os casos
Dona Luiza de Jesus:
A casa em que mora estava repleta de buracos no assoalho e a pensionista não tinha como consertar os estragos causados por cupins. O Movimento de Irmãos de Humaitá e empresários resolveram ajudar a senhora. A construção da nova casa será realizada em breve.
Débora Linhares:
A garotinha, de cinco anos, sofre de insuficiência renal crônica e está há dois meses internada em Florianópolis. A Satira luta para ajudar a família a trazer Débora para Tubarão. Ela precisa de um local higienizado para continuar o tratamento.
• Assistência social da prefeitura:
A secretária da pasta, Vera Stüpp, garante que irá ajudar (nos dois casos) no que for possível. Na próxima semana, irá reunir a equipe para analisar estes casos.