Carolina Carradore
Tubarão

Hoje seria o dia em que a situação da Área Azul, em Tubarão, seria definida. Mas a prefeitura ainda não conseguiu finalizar o processo de rescisão de contrato com a empresa Caiuá Consultoria e Planejamento e prorrogou por mais 30 dias o prazo de suspensão dos trabalhos da Caiuá. O estacionamento rotativo está desativado há quatro meses.

Segundo o secretário de segurança e trânsito, Antônio Bittencourt, a prefeitura ainda negocia o valor da rescisão com a empresa e esbarra também na parte burocrática para finalizar o processo. Ele conta que o município chegou a oferecer R$ 50 mil à Caiuá, que não aceitou e espera uma contraproposta do município. “Os diretores da Caiuá estão dispostos a nos ajudar e não se importaram em nenhum momento em prorrogar o prazo”, relata Toni.

O diretor da empresa, Hélio Mizubuti, afirmou ontem que ainda aguarda uma resposta do município. “Em minuto algum vamos prejudicar a cidade, vamos negociar da melhor maneira possível”, garante.

A administração municipal ainda não definiu de que forma irá reativar o estacionamento rotativo. Entre as alternativas, estão utilizar serviços da própria prefeitura para tocar o trabalho, terceirizar ou até de contratar alguma entidade da cidade.

Fiscalização
Vale lembrar que a Guarda Municipal fiscaliza as vagas destinadas a motos, deficientes físicos e idosos e lugares marcados para carga e descarga.

80% dos motoristas querem a
volta da Área Azul, diz secretário

Desde que a justiça determinou a suspensão dos avisos de irregularidades emitidos pela Caiuá Assessoria e Planejamento, em fevereiro deste ano, o estacionamento rotativo foi desativado em Tubarão.

O motorista não precisa mais de cartão e nem se preocupar com o tempo em que o carro ficar estacionado na região central. Fato que tem gerado reclamações de condutores que rodam sem sucesso pelas ruas da região central à procura de uma vaga. Muitos acabam optando em deixar nos estacionamentos privativos. Boa parte cobra no mínimo R$ 2,00 a hora.

O secretário de segurança e trânsito da prefeitura, Antônio Bittencourt, afirma que 80% dos motoristas querem a volta da Área Azul. “Recebemos muitas reclamações. Estamos estudando a melhor forma para retornar com a Área Azul o mais rápido possível”, observa.