Liliane Dias
Braço do Norte

Após muitas reivindicações e diversas solicitações da população e lideranças da região, o sonho que parecia não se concretizar irá para o papel e poderá, em breve, chegar à prática. De acordo com o agente regional da Casan de Braço do Norte, Ivan Azevedo, são feitos os levantamentos para saneamento básico de duas localidades: os bairros Nossa Senhora de Fátima e Lado da União.

Os projetos já estão em andamento. “O mais importante é feito. A questão dos esgotos, após a cobrança dos vereadores, é executada e os engenheiros de Criciúma trabalham no projeto”, afirma. Atualmente, a Casan conta com 21 funcionários, oito cuidam da manutenção.
O atendimento cobre ainda Treze de Maio, Gravatal, Armazém, Santa Rosa de Lima e São Martinho.

O agente, que está há 18 anos na Casan, diz que também é desenvolvido um projeto para a ampliação do novo sistema de tratamento do esgoto. Quanto ao tratamento de água, já há o projeto de ampliação pronto. A obra foi orçada em R$ 400 mil, mas não tem data exata para ser iniciada. “O primeiro passo será a realização das licitações”, explica.

Gestão compartilhada
Na gestão compartilhada, a Casan verifica onde há problema. “Abrimos o buraco, efetuamos a medição (largura, comprimento e profundidade), repassamos o material (que sai do Fundo de Gestão Compartilhada) para a prefeitura, que entra com a mão-de-obra”, detalha Ivan.

Atualmente, a arrecadação mensal gira em torno de R$ 220 mil, desses, 10% são destinados ao fundo para manutenção. “Cada vez que é detectado um vazamento, por exemplo, a Casan vai, faz a medição e repassa o material e o local para a prefeitura fazer o reparo”, acrescenta.
O material para os serviços não é problema. “Material não falta, se necessário vamos a Florianópolis buscar. Só é preciso de tempo”, conclui.