Liliane Dias
Braço do Norte

De quatro solicitações de impugnação no Vale de Braço do Norte, três foram consideradas improcedentes pelo juiz eleitoral do Fórum da comarca. Em Grão-Pará, os candidatos Benício Monn, Roselita Buss e Osni José Kulkamp foram para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e mantiveram o direito de concorrer às eleições.

Já o candidato a prefeito Ademir Matos, de Braço do Norte, após ser considerada procedente duas vezes, recorrerá a Brasília.
O analista judiciário do cartório eleitoral, Orlando Carlos Almeida Vairich, diz que além das solicitações de impugnação também foram movidas ações de investigação judicial e representação eleitoral.

Duas ações de investigação judicial foram movidas contra o prefeito de Braço do Norte, Luiz Kuerten, e o candidato a prefeito Ademir Schmoler, além dos candidatos a vereadores Arilton Meurer, Jordão Valter Santana, César Algusto Borges e o Partido Progressista. Uma foi movida pelo Ministério Público e outra pela coligação Todos por Braço do Norte.

Em ambos, a alegação é de abuso do poder político, onde o prefeito teria beneficiado os candidatos com o conhecimento dos próprios. “Os dois processos foram improcedentes em primeiro grau. Apenas a coligação Todos por Braço do Norte recorreu, o Ministério Público não”, detalha.

Já a ação de investigação judicial contra o prefeito Luiz Kuerten, movida pela coligação Todos por Braço do Norte, em que a acusação é de propaganda antes do período eleitoral, foi considerada procedente. O resultado foi de multa de aproximadamente R$ 21 mil, mas ele recorreu ao TRE.

Quanto às representações eleitorais, somam três. Duas pelo MP: contra Luiz Kuerten e contra o prefeito de Ademir Gesing, de São Ludgero, referentes a propagandas institucionais nos respectivos sites das prefeituras. Ambos resultaram em multa de R$ 5,2 mil cada.

A ação movida pela coligação Força do Povo, de Santa Rosa de Lima, contra o candidato Celso Heidemann, por propaganda em um jornal regional, foi considerada improcedente. “Dos três, dois recorreram e agora aguardam as decisões do TRE ”, conclui Vairich.