Brasíla (DF)

A ministra-chefe da casa civil, Dilma Rousseff, afirmou que “a pergunta que o governo faz hoje é: a quem interessa o vazamento dos dados?”, em referência à divulgação de um suposto dossiê sobre gastos com cartões corporativos durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

“Muita gente sabe e viu. A esperança é descobrir quem”, ressaltou, ao informar que já foi iniciado o processo de apuração de responsabilidades. “O grave é o vazamento de informações, que será apurado. Não sabemos quem formatou, a sindicância já foi aberta”, anuncia.

Segundo a ministra, “o que foi publicado são fragmentos do banco de dados e não um dossiê, são informações que estavam sob sigilo, foram auditadas e o Tribunal de Contas da União (TCU) não apontou qualquer irregularidade”, relata.

Para Dilma Rousseff, dossiê “é uma prática que repudiamos no processo democrático, é uma palavra que traz embutida uma avaliação pejorativa, de tentar transformar dados em instrumento político de disputas rebaixadas”. Ela considerou uma “escandalização do nada” a publicação das informações que se destinam a “dar transparência e não a denúncia política”.

Banco de dados
O governo não tem nenhum dossiê sobre gastos da administração Fernando Henrique Cardoso, garantiu o ministro da justiça, Tarso Genro. “Não há dossiê. Há uma sindicância administrativa. Sindicância é um processo administrativo do estado para verificar se um fato existe“, explicou.