Todos podem atuar como padrinhos, aqueles que adotam as cartinhas, e providenciar os presentes solicitados pelas crianças  -  Foto:Divulgação/Notisul
Todos podem atuar como padrinhos, aqueles que adotam as cartinhas, e providenciar os presentes solicitados pelas crianças - Foto:Divulgação/Notisul

Tubarão

Papai Noel precisa da ajuda de voluntários para realizar o sonho de muitas crianças e, a partir de hoje, até o próximo dia 27, podem se preparar para fazer a alegria delas neste Natal. Em sua 26ª edição, a Campanha Papai Noel dos Correios já recebeu as cartinhas com os pedidos para o Bom Velhinho. Elas podem ser retiradas nas agências centrais dos Correios.

Em parceria com 177 instituições de ensino público do estado, mais de 16 mil crianças de 53 municípios participam este ano. Na abrangência da Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) estão Braço do Norte, Capivari de Baixo, Imaruí, Laguna e Tubarão.

No ano passado, em Tubarão, foram adotadas 197 cartinhas de crianças com até 10 anos da rede municipal de ensino. A campanha tem como principal objetivo responder às cartas das crianças que escrevem ao Papai Noel e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes das que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Outra finalidade é trabalhar ações, como desenvolver a habilidade da redação de carta, endereçar e usar corretamente o Código de Endereçamento Postal (CEP). 

Desde 2010, os Correios estabeleceram parcerias com escolas públicas, creches e abrigos. Mas é a ajuda da sociedade brasileira e dos mais de 120 mil empregados dos Correios que torna a campanha um sucesso.

Como participar
Todos podem atuar como padrinhos, aqueles que adotam as cartinhas, e providenciar os presentes solicitados pelas crianças. Quem contribuir com a campanha deve entregar o presente na própria agência em que adotou a carta. A entrega dos presentes será realizada até o próximo dia 27. Os Correios responsabilizam-se pelo envio dos presentes para a escola, que vai repassá-los às crianças. Não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado ao padrinho.