Após polêmica dos últimos dias, a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), pautou para esta quinta-feira, o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar que ele seja preso. Ela comunicou a decisão logo no início da sessão desta quarta-feira. Justificou que na próxima semana, por causa do feriado da Páscoa, não seria possível.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região marcou para a próxima segunda-feira o julgamento do recurso do ex-presidente, condenado a 12 anos e 1 mês de prisão.

Em seguida, o ministro Marco Aurélio Mello disse que não apresentaria uma questão de ordem sobre o assunto, já que a pauta estava definida, mas afirmou que é preciso “resolver o impasse” da questão na Supremo. Ele se referia à decisão que possibilita o cumprimento de pena após condenação em segunda instância.