#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher
#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher

As cápsulas endoscópicas para exames foram aprovadas há poucos anos no Brasil. Tecnologia disponível no Complexo Médico Provida para investigação precisa do intestino delgado. Dispositivo com uma microcâmera, ingerida por deglutição, que após o exame é eliminado normalmente pelas fezes.

A gastroenterologista, Dra. Caroline Linhares explica que a importância dessa cápsula é conseguir avaliar o intestino delgado em toda a sua extensão. “Sabemos que os exames convencionais não conseguem avaliar todo o intestino delgado, que mede por volta de 7 metros. Órgão que é dividido em três partes: duodeno, jejuno e íleo. A endoscopia digestiva alta alcança até o início do duodeno e a colonoscopia consegue analisar o cólon e o final do intestino delgado, ou seja, grande parte não é acessível por estes exames e fica sem avaliação”, esclarece a médica.

Antes da utilização dessas cápsulas, não havia como avaliar o intestino delgado em sua complexidade. “O uso da cápsula permite investigar lesões que não podem ser acessadas pela endoscopia e colonoscopia”, destaca.

Principais indicações:

Investigação de sangramento digestivo e de anemia por deficiência de ferro, cuja causa não é diagnosticada pela endoscopia e colonoscopia.

Outros benefícios:

Não invasivo, possibilita definir a conduta do tratamento terapêutico e em casos cirúrgicos, auxilia na localização a ser tratada.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Provida