#PraCegoVer Na foto, uma agente de endemia vistoria uma casa
Atualmente, Capivari de Baixo possui 84 armadilhas espalhadas em todos os bairros e comunidades da cidade - Foto: Prefeitura de Capivari de Baixo | Divulgação

Todos os moradores de Capivari de Baixo estão convocados! A cidade declarou guerra contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, entre outras doenças. Com o crescimento de focos do vetor em todo o estado e Imbituba declarada como infestada, a Prefeitura antecipou-se e organizou uma força-tarefa para combater o surgimento de focos. Todo o município começará a ser vistoriado, inclusive com o uso de drone para vistoriar áreas de difícil acesso. Os trabalhos iniciam na próxima semana.

Primeiramente as ações serão educativas, com uso de carro de som, distribuição de material educativo com conteúdo preventivo e capacitação capacitação das agentes comunitárias e enfermeiras das unidades de saúde. As fiscalizações, em casas e empresas, também terão este foco. Nos lugares onde houver melhorias a serem feitas – pode ser uma caixa d’água destampada ou um jardim com pratinhos de plantas sem areia, por exemplo –  será dado um prazo para que o proprietário adeque. Na segunda etapa de fiscalização, se os problemas apontados não estiverem corrigidos, estas pessoas serão formalmente notificadas. Caso ainda noa cumpram com as exigência, um processo administrativo será aberto. Neste caso, poderá ser aplicada multa com valores entre R$ 200 a R$ 5 mil, dependendo do caso.

“O foco é salvar vidas. Foram pelo menos três semanas de muita chuva e isto ajuda os criadouros das larvas e a proliferação dos insetos. Não podemos deixar a dengue tomar conta do nosso município”, observa o secretário de saúde Everson Martins. Paralelamente a isso, a Prefeitura alinhava uma parceria com a Univinte/Fucap para utilizar o laboratório de análises da instituição pelas agentes de endemias. Desta forma, as larvas encontradas nas 84 armadilhas, espalhadas em todos os bairros e comunidades, serão verificadas na cidade e mais rapidamente, Hoje, o material é enviado para Florianópolis e o resultado leva alguns dias. “Esta parceria não acarretará custo para o município e agilizará o tempo de resposta, algo imprescindível no combate do Aedes Aegypti”, valoriza Everson.

Informações: Prefeitura de Capivari de Baixo
Texto: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul