A família de uma criança de Capivari de Baixo de 8 meses, diagnosticada com cardiopatia, faz uma campanha por meio de rifa para arrecadar dinheiro. O valor será usado em exames, compra de medicamentos e também as viagens para outro município, em Joinville, onde é realizado o acompanhamento médico, essencial para o bem-estar do menino.

Pietro Schmoeller Torres nasceu em 4 de setembro de 2021. A mãe do menino, Greice Schmoeller, conta que dois meses após o nascimento do bebê ele precisou passar por um procedimento no Norte de Santa Catarina. Após a cirurgia, Pietro necessita realizar diversos exames e segue com a saúde frágil.

A expectativa com a rifa é arrecadar um valor considerável para realizar os exames na Cidade das Flores e também para a estadia de aproximadamente quatro dias no local. Um exame será realizado em 24 horas. “Ele precisa realizar acompanhamento médico constantemente e passa mais tempo em clínicas e pouco em casa. Como não temos plano, os custos são todos pagos de forma particular “, detalha.

Além do menino, ela e o esposo Rafael Torres, são pais de mais três crianças, as gêmeas Laura e Lorena de 8 anos e Maria Eduarda de 2 anos. Atualmente só Rafael possui renda. “Recentemente o Pietro foi diagnosticado com bronquiolite e alergia à proteína do leite e precisou trocar a fórmula que utilizava. O alimento não é fornecido pelo poder público e com isso temos dificuldades em adquirir”, expõe.

Greice conta que buscou um auxílio financeiro para criança por meio do Benefício de Prestação Continuada (BPC), porém o pedido segue em análise há mais de sete meses. Enquanto isso, a família busca por meio de campanhas angariar os valores necessários.

O sorteio está marcado para o dia 12 de junho. São dois prêmios que foram doados para a realização da campanha, um PIX no valor de R$ 400,00 e uma cesta para o Dia dos Namorados. Para adquirir um número basta realizar um PIX no valor de R$ 5,00 para o número 09539502985. Outras informações no WhatsApp (48) 99953-3085.

Benefício de Prestação Continuada (BPC)

O Benefício de Prestação Continuada – BPC, previsto na Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS, é a garantia de um salário mínimo por mês ao idoso com idade igual ou superior a 65 anos ou à pessoa com deficiência de qualquer idade. No caso da pessoa com deficiência, esta condição tem de ser capaz de lhe causar impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo (com efeitos por pelo menos 2 anos), que a impossibilite de participar de forma plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.

O BPC não é aposentadoria. Para ter direito a ele, não é preciso ter contribuído para o INSS. Diferente dos benefícios previdenciários, o BPC não paga 13º salário e não deixa pensão por morte. Para ter direito ao BPC, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja igual ou menor que 1/4 do salário-mínimo (Como calcular a renda per capita familiar).

Além da renda de acordo com o requisito estabelecido, as pessoas com deficiência também passam por avaliação médica e social no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul