Alunos da Escola Vitório Marcon, no bairro Ilhotinha e da Escola Santo André, no bairro Santo André, em Capivari de Baixo, começaram a participar das primeiras aulas do curso de robótica promovido pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). O projeto foi uma iniciativa da vereadora Bia Alves, que intermediou o curso entre o IFSC e a Secretaria de Educação de Capivari de Baixo.

Serão seis encontros em um total de 20h/aulas. Nesta primeira etapa serão beneficiados com o curso extracurricular 40 alunos das duas instituições de ensino. No segundo semestre, cerca de 40 discentes das escolas Dom Anselmo Pietrulla e Stanislau Gaidzinsk Filho participarão da ação. As aulas serão realizadas no câmpus do IFSC, em Tubarão.

De acordo com a vereadora Bia Alves, as aulas de robótica contribuem para o desenvolvimento do raciocínio lógico e incentivam a criatividade dos alunos. “Trata-se de um curso que traz enormes benefícios para o aprendizado de crianças e adolescentes, como melhora do raciocínio e da criatividade, além de prepará-los para o futuro ao lidar com a tecnologia de forma positiva e produtiva. A robótica é uma ferramenta educativa, melhora o desenvolvimento cognitivo dos alunos e o processo de aquisição dos conhecimentos aprendidos em sala”, enfatiza.

Os encontros ocorrem nas segundas-feiras. Bia pontua que as atividades na aula de robótica são feitas em grupo, o que gera nos alunos o senso de equipe, o espírito de integração e o desenvolvimento pessoal. Ela destaca que valores como colaboração e respeito são estimulados na aula, de forma que os estudantes tomam maior consciência do outro e aprendem a respeitar as ideias dos demais. “Os alunos da escola pública não têm oportunidade de ter essas aulas de robótica, graças a parceria com o IFSC, agora eles podem participar desses encontros. Também agradeço o apoio do prefeito Dr. Vicente Corrêa Costa”, observa.

A parlamentar afirma que o trabalho em equipe também ajuda no relacionamento interpessoal, visto que há uma intensa troca de experiências e o compartilhamento de ideias entre os alunos. “Nas aulas de robótica, os alunos lidam constantemente com problemas, seja na concepção de uma ideia, na montagem das peças ou na programação do robô. Nesse contexto, a intensa busca por soluções de problemas estimula o desenvolvimento cognitivo, o raciocínio lógico e o pensamento crítico”, finaliza.

Os alunos farão a montagem dos robôs utilizando kits de robótica educacional Lego, nas versões Spike Prime e Mindstorms EV3. Eles aprenderão sobre uso de sensores, lógica de programação e resolução de problemas em equipe.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul