Wagner da Silva
São Ludgero

O município de São Ludgero sai na frente e pode tornar-se referência no país em uma das áreas mais deficientes de qualquer administração pública: a saúde. O município será cede de um projeto piloto que consiste na implantação de uma ambulatório para casos de câncer de pele. A idéia surgiu na secretaria de saúde e promoção social da prefeitura, com o apoio da secretaria de desenvolvimento regional em Braço do Norte.
Para alinhavar a parceria, o projeto foi apresentado aos gerentes estaduais de saúde na região, pela gestora de projetos da secretaria municipal, Rosivete Coan Niehues.

“Queremos ser referência em saúde e com o auxílio dos parceiros podemos alcançar este objetivo. A partir deste projeto piloto, poderemos dar o próximo passo a outros já elaborados”, destaca Rosivete. Outro ponto que ela salienta é que a aprovação deste projeto implica na liberação de vários recursos estaduais e federais para a implementação deste e de outros programas.

Além de trabalhar a conscientização das pessoas, o projeto tem como objetivo detectar a doença entre a população e trabalhar a prevenção, com acompanhamento de especialistas na área. De todos os casos de câncer registrados no país, 25% é de pele. Destes, 94% dos casos ocorrem por exposição ao sol. “Nosso objetivo é enriquecer o banco de dados do município para poder rastrear as ocorrências de cada habitante. Desta forma, teremos subsídios para oferecer um diagnóstico rápido e um tratamento completo”, argumenta o pediatra e pós-graduando em dermatologia Odivan José Rabelo Varela.

Investimento em prevenção ganha parceria de voluntárias
Além de ser um problema de saúde, o câncer de pele acarreta a questão estética. Daí a importância de desenvolver o projeto em São Ludgero. O maior argumento está na grande quantidade de agricultores na cidade. A maioria deles passa praticamente toda a vida exposta ao sol forte, sem proteção adequada. “Estudando a origem étnica e a cultura agrícola de nossa região, vamos observar que a doença é facilmente detectada”, justifica a secretária de saúde da prefeitura de São Ludgero, Janete Felipe Pavanate.

Janete defende ainda que investir na prevenção sai mais barato para a população e para os gestores de saúde. “Por este motivo, trabalhamos para identificar rapidamente os casos”, enfatiza. O futuro ambulatório de câncer de pele funcionará na sede da Rede Feminina de Combate ao Câncer do município, e os atendimentos serão feito uma vez por semana, com consultas pré-agendadas.

As voluntárias da rede também dispensarão um tempo do trabalho para auxiliar na prevenção ao câncer de pele. “Trabalharemos em conjunto com outras áreas da saúde na luta contra o câncer”, destaca, empolgada, a presidenta da Rede Feminina de Combate ao Câncer de São Ludgero , Neli Weber Stang.