#PraCegoVer Na foto, uma mulher faz uma apresentação para um grupo de pessoas
Quem quiser, poderá encaminhar outras sugestões para o e-mail: social@tubarao.sc.gov.br - Foto: Marcelo Becker | Prefeitura de Tubarão | Divulgação

Eles estão em todos os lugares, cidades, estados, países. Muita gente tem pena, mas definitivamente ninguém morre de amores. A população de rua está entre a mais marginalizada do mundo e não é por acaso: na maioria dos casos são pessoas com graves problemas com o alcoolismo, o uso de entorpecentes e envolvimento com a criminalidade. Mas gostem ou não, o problema existe. Eles existem! E preciso do melhor destino possível. Afinal, são pessoas, são o pai ou a mãe de alguém, irmãos, irmãs, filhos, sobrinhos. O aumento da população de rua em Tubarão, levou o gestores da prefeitura, representantes dada Polícia Civil, Guarda Municipal, Polícia Militar, Bombeiros Militares, Ministério Público, entidades civis e e comunidade a debater a problemática. A meta da audiência pública, realizada nesta quarta-feira (20), foi buscar soluções e alternativas para assistir as pessoas em situação de rua.

Todas as discussões apresentadas tiveram como referência dados estatísticos e relatos de situações específicas em torno da questão social e de segurança pública. Segundo a Fundação Municipal de Desenvolvimento Social (FMDS), Tubarão tem hoje entre 60 e 70 pessoas em condição de rua. Destes, apenas 0,97% são de Tubarão. O restante vieram de outras cidades catarinenses (2,73%) e do Rio Grande do Sul (96,3%). A maioria deles – 87,7% – estão na rua por problemas relacionados ao álcool e drogas ilícitas. A grande dificuldade de encontrar uma boa solução para assistir estas pessoas esbarra, basicamente, em duas situações: as leis federais que limitam as ações do município e órgãos oficiais de segurança e a própria vontade das pessoas, que têm o direito constitucional de aceitarem ou não os serviços sociais oferecidos pelo poder público.

Com a complexidade do tema, a sugestão por parte da prefeitura é a realização de uma campanha para evitar a doação de dinheiro e a realização de um trabalho orientativo para que a população de rua busque e aceite os serviços sociais do município. Várias outras sugestões foram dadas, como a abertura de um restaurante social com apoio da União. Os organizadores da audiência disponibilizaram o e-mail social@tubarao.sc.gov.br para que os participantes, e quem mais queira colaborar, enviem alternativas e comentários sobre o tema. O Gabinete de Gestão Integrada (GGI), que reúne vários órgãos públicos para discutir a segurança do município, dará continuidade a essa demanda com o intuito de buscar caminhos alternativos e que estejam em consonância com as leis.

Fonte: Prefeitura de Tubarão
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul