A Justiça liberou parte do dinheiro arrecadado na campanha Ame Jonatas para os pais do menino. O juiz Márcio Renê Rocha, da Vara da Infância e Juventude de Joinville, autorizou o pagamento dos valores referentes aos aluguéis em atraso do imóvel onde o casal mora, mediante uma transferência bancária. O juiz deixou claro que os próximos aluguéis devem ser pagos pelos pais e não com o dinheiro da campanha.

Daqui em diante, se houver novos casos de inadimplência, os pais do menino devem arcar com o valor, podendo ser despejados e até mesmo perder a guarda de Jonatas, conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente. O juiz também cobrou a entrega, dentro do prazo de cinco dias, do estudo psicossocial ao qual o casal foi submetido diante de uma equipe de psicólogos do Fórum de Joinville.

Entenda o caso

O pequeno Jonatas sofre de atrofia muscular espinhal (AME), que causa fraqueza muscular e dificuldade para respirar e andar. Mas um medicamento desenvolvido nos Estados Unidos, no ano passado, se tornou a esperança dos portadores. Com isso, os pais da criança lançaram a campanha “Ame Jonatas”, para arrecadar dinheiro suficiente para a aplicação da vacina. A campanha ganhou repercussão nacional e diversas pessoas se sensibilizaram com o caso.

No início deste ano, os bens dos pais do menino foram apreendidos pela polícia. Da residência do casal foram levadas caixas com documentos, um carro avaliado em R$ 140 mil e uma moto. No inquérito, aberto a pedido do Ministério Público, os pais são investigados por apropriação indébita e estelionato.