Cerca de 40 caminhões de uma empresa de Santa Catarina estão parados na fronteira entre a Argentina e o Chile desde que o país chileno passou a exigir teste da Covid-19 para os que chegassem no território. Em vídeos gravados nesta quarta-feira (02), um dos caminhoneiros gravou o acúmulo de veículos, que iniciou há 15 dias.

Segundo os motoristas, as autoridades chilenas não têm conseguido atender a demanda de testagem. A empresa catarinense é de Chapecó e, de acordo com a funcionária Jéssica Gral, a espera de alguns motoristas já dura cerca de 15 dias e não há previsão de mudanças.

Os caminhões transportam chocolates, frutas e carnes. Por muitos serem alimentos perecíveis, a preocupação é de que quanto maior a demora, maior o risco de perderem a carga. A maioria dos funcionários está em Mendoza, Uspallata e Villa Mercedes, na Argentina.

— O equipamento de frio é movido com diesel. Está chegando o momento que não tem mais diesel. A gente tem que entrar em contato com um posto para levar [o combustível]. Lá eles não têm infraestrutura. Estão ficando sem água, a estrutura que tem hoje não é suficiente — falou a funcionária.

Ao todo, são cerca de cinco mil caminhões parados na fronteira com o Chile, 80 desses brasileiros.

As informações são da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL), que afirmou que a exigência é de que os motoristas façam dois exames pelos agentes de saúde chilenos; o teste RT-PCR, feito a partir da coleta de mucosa do nariz e da garganta, realizado em até 72 horas de antecedência; e outro no momento da passagem na fronteira.

Na sexta-feira (28), a entidade informou que tenta fazer um acordo para resolver o impasse com os diferentes ministérios.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Com informações do NSCTotal