O caminhão foi comprado com recursos federais e municipais.
O caminhão foi comprado com recursos federais e municipais.

Tubarão

A distribuição de merendas para as 47 unidades escolares da rede municipal recebeu um reforço. Ontem, foi entregue à secretaria de educação um caminhão baú. O investimento foi de R$ 157 mil, feito com recursos do salário educação, do governo federal, com contrapartida da prefeitura.

“Merenda escolar também se faz com transporte de boa qualidade”, ressaltou o representante do Conselho Municipal de Alimentação Escolar, Francisco Fernandes Souza, presente na solenidade de entrega do veículo. O conselho autorizou a utilização do salário educação para a aquisição do caminhão.

Apesar do protocolo para a compra do veículo datar de 2008, somente agora foram disponibilizados recursos. E, em um momento oportuno. Um programa de controle da distribuição da merenda é implementado. O sistema monitora o estoque, a data de validade, tipo de produto, consumo per capita e armazenamento dos produtos em cada uma das despensas das unidades.

“Dessa forma, garantiremos melhor alimentação para as crianças, mas também a boa aplicação dos recursos públicos, evitando o desperdício do produto adquirido para a merenda escolar”, afirma o secretário de educação, Felipe Felisbino.
A prefeitura investe por ano cerca de R$ 1,6 milhão em merenda escolar. Desse total, apenas R$ 450 mil são provenientes do governo federal.

Merendeiras recebem capacitação

Cento e sessenta merendeiras da rede municipal de ensino de Tubarão participaram, nos últimos dois dias, de uma capacitação. Elas foram orientadas pelas nutricionistas Suellen Mafra e Thalita Rosendo quanto a alimentação saudável, montagem de cardápios nas escolas; usos de temperos naturais; tipos de micro-organismos e sobre as boas práticas da alimentação.
Para a merendeira Maria do Carmo Paes, do Centro de Educação Infantil (CEI) Criança Feliz, do bairro Congonhas, a capacitação foi importante. “Além de aprender mais ainda, vamos ter a oportunidade de inovar com relação ao tipo de alimentação que vamos oferecer nas escolas”, ressalta Maria.