Carolina Carradore
Tubarão

Até dezembro deste ano, todas as áreas de autoatendimento de agências bancárias e instituições financeiras de Tubarão contarão com serviço de vigilância. Pelo menos é o que determina a lei municipal sancionada dia 18 de junho. Mas a medida não foi vista com bons olhos pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

E se a regra entrar em vigor, eles ameaçam interromper os serviços dos caixas eletrônicos após às 16 horas. A informação é do vereador Evandro Almeida (PMDB).
“Recebi uma ligação há duas semanas e eles foram bem claros: disseram que o projeto não tem fundamento e se a lei for regulamentada fecharão a sala de autoatendimento junto com o expediente do banco”, reitera Evandro.

Representantes da Febraban tentaram contato com o prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) na semana retrasada, quando souberam da existência da lei. Sem conseguir falar com o prefeito, procuraram o vereador. O projeto de lei 8.2010 foi aprovado em plenário dia 27 de maio. Na justificativa, Evandro argumentou a insegurança do cliente em utilizar caixas eletrônicos à noite. “A presença de um vigia iria trazer segurança à população, pois ficamos à mercê dos bandidos”, justifica Evandro.

Prazos
A câmara de vereadores de Tubarão aprovou o projeto de lei de autoria do vereador Evandro Almeida (PMDB – foto), dia 27 de maio. Em 18 de junho, a lei foi sancionada pelo prefeito Manoel Bertoncini (PSDB). O município tem 90 dias para regulamentar a lei. Depois disto, os bancos terão mais 90 dias para se adequarem à nova regra.

O outro lado

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), por meio da assessoria de imprensa, disse que a intenção do município em trazer seguranças aos usuários dos caixas eletrônicos cria uma situação que favorece os bandidos.
Eles argumentam que um vigilante utiliza armas de calibre menor e usam coletes à prova de bala. Fato que, segundo a Febraban, fica difícil de competir com um bandido que usa armas mais poderosas e ainda roubam o colete do vigia.

Outro argumento seria em como o guarda utilizaria o banheiro, pois fica impedido de entrar na agência bancária e na antessala não há sanitários.
A Febraban também questiona onde as armas e os coletes seriam guardados após o término dos trabalhos do vigia. Segundo a federação, a legislação impede que eles levem os materiais para casa.

Eles orientam à população a utilizar os serviços bancários em horário de expediente e evitar contato em bancos no período noturno. Segundo a Febraban, se mesmo diante de todas estas justificativas, o prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) não estiver convencido da inviabilidade da lei, a federação irá determinar que os bancos cumpram a lei.