Mas, calma, as cenas não fazem parte de um novo escândalo protagonizado pela moça e sim de seu novo clipe, Womanizer (Mulherengo). Britney aparece como veio ao mundo numa sauna. A cantora exibe todo seu sex appeal e um corpo para lá de bem torneado.

“Não considero agressivo ficar nua”, diz atriz da Record
Letícia Colin jamais se esquecerá deste ano. Além de ter entrado 2008 com 18 (faz aniversário dia 30 de dezembro), a atriz ganhou dois presentes: a personagem Vivi, de Chamas da Vida, e Maria Cecília, a protagonista da refilmagem de Bonitinha Mas Ordinária, clássico de Nelson Rodrigues com direção de Moacyr Góes. “Estou feliz, apaixonei-me pela Maria Cecília. Ela é atirada, entregue, intensa e impulsiva”, elogia Letícia.

Em ambas as tramas, temas fortes, como pedofilia (Chamas da Vida) e estupro (Bonitinha Mas Ordinária), são mostrados. No filme, que estreará em janeiro, ela enfrentou o desafio de fazer uma cena na qual a personagem é violentada por cinco homens. “Encarei com serenidade. O corpo é instrumento do ator para contar histórias. Tem que ter tenacidade e elasticidade. Não considero agressivo ficar nua”.

Playboy nega Melancia na edição de Natal
Os marmanjos estavam em festa: após Andressa Soares estampar a edição de junho da revista Playboy, rumores davam conta de que a Garota Melancia seria a estrela da edição de Natal da publicação. O fato de ela ter sumido das páginas de revistas masculinas reforçou a esperança da torcida, mas, para desagrado dos admiradores, a Playboy nega qualquer negociação com Andressa.

Segundo a revista, a capa de dezembro ainda não foi fechada e, mesmo sendo um nome forte, faria pouco sentido Andressa ser capa novamente, visto que posou há pouco tempo. Mas isso não parece ser problema para Melancia. Segundo ela, um novo ensaio para a Playboy seria bem-vindo: “Por enquanto é só especulação”, disse.

Juliana Paes prepara-se para a sua primeira protagonista
Os olhos grandes, negros e rasgados aproximam Juliana Paes das mulheres indianas. Com longos cabelos tingidos de preto e um gestual cada vez mais influenciado pela imersão nos workshops sobre a cultura, a história e os costumes da Índia, a atriz parece se entregar à composição da primeira protagonista.

“O Ricardo (Waddington) preocupou-se com o que eu queria. Tivemos uma conversa de amigos, sem essa hierarquia de diretor e atriz. Ele disse que eu deveria aceitar e crescer. Depois, me abençoou”, emociona-se. Juliana mal acredita que está prestes a estrear como protagonista do horário das 20 horas. “O frio da barriga é maior sabendo que terei de contar uma história tão difícil”, valoriza.