Tubarão

Santa Catarina gerou 6.415 vagas formais de emprego no mês passado, de acordo com o relatório do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira. Segundo o levantamento, neste mês foram criadas 87.927 mil vagas, mas outras 81.512 foram extintas no Estado. 

Enquanto Tubarão encerrou o mês de abril com saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada, em Imbituba e Laguna o resultado foi negativo no mesmo período. Na Cidade Azul, conforme o Caged, foram 1.598 admissões e 1.481 demissões, resultando em um saldo de 117 novos postos.

Neste sentido, a maior cidade da Amurel se recuperou depois de um mês de março com saldo negativo de (548), quando houve mais demissões (2.167) do que admissões (1.619). A exemplo do último levantamento, a cidade portuária fechou postos de trabalho ao longo do mês. Em abril, houve 372 admissões e 428 demissões e o município ficou com resultado negativo em 56.

Na Cidade Juliana, assim como no levantamento anterior teve outro registro negativo. Segundo os dados do Caged, no mês passado, o município terminou com menos 106 pessoas empregadas. Foram 201 contratações e 307 desligamentos. No fechamento de 12 meses (abril de 2018 a abril de 2019), Tubarão tem saldo positivo de 85 vagas, Imbituba 374 vagas e Laguna saldo negativo de 209 empregos formais.

A alta foi beneficiada pelos serviços e pela indústria. A criação de empregos com carteira assinada atingiu, em abril, o maior nível para o mês em seis anos. No país, foram 129.601 postos formais de trabalho criados no último mês. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões.

A última vez em que a criação de empregos tinha superado esse nível foi em abril de 2013, quando as admissões sobressaíram as dispensas em 196.913. A criação de empregos totaliza 313.835 de janeiro a abril e 477.896 nos últimos 12 meses.

Na divisão por Estados, 23 unidades da federação geraram vagas e quatro demitiram mais do que contrataram. As maiores variações positivas no saldo de emprego ocorreram em São Paulo (abertura de 50.168 postos), em Minas Gerais (22.348), no Paraná (10.653) e na Bahia (10.093). Os Estados que registraram o fechamento de vagas formais foram Alagoas (-4.692 postos), Rio Grande do Sul (-2.498), Rio Grande do Norte (-501) e Pará (-25).