Tubarão

O país fechou os quatro primeiros meses do ano com um saldo de 336.855 empregos criados. Abril fechou com 115.898 postos de trabalho a mais do que em março. Esse é o melhor resultado para o mês desde 2013, quando foram criadas 196.913 vagas. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apresentado nesta sexta-feira (18), pelo Ministério do Trabalho, ao longo de abril foram registradas 1.305.225 admissões e 1.189.237 desligamentos.

Santa Catarina está entre os Estados com maior saldo de empregos em abril com 5.322 postos de trabalho formais. Os maiores saldos de emprego ocorreram em São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás, Rio de Janeiro. “Esses números demonstram que a economia de Santa Catarina tem força e que os catarinenses têm espírito empreendedor”, lembra a secretária de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Romanna Remor.

No Estado, porém, se o maior município da Amurel teve bom índice de trabalhadores empregados com carteira assinada em março, com 1.712 admissões contra 1.468 demissões, o que gerou um salto positivo de 244 novos empregos formais, em abril os números foram negativos. Apenas 1.481 trabalhadores foram contratados e 1.957 demitidos, saldo negativo de 476. Imbituba apresentou um saldo positivo de um no balanço mensal, foram 384 contratações e 383 demissões. Em Laguna, o número de admissões foi de 257 e de demissões 262, saldo negativo de cinco.

O desempenho positivo no Estado pode ser observado nos setores de serviços (3.418); construção civil (1.287) e indústria da transformação (1.250). O que impulsionou o setor de serviços, por exemplo, foi o incremento no comércio, transporte e ensino. Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, Joinville (1.270); São José (803); Blumenau (677); Chapecó (651); e Jaraguá do Sul (417) destacaram-se na geração de empregos. “Os dados indicam que os oito setores da economia no país tiveram expansão. E esse é um indicativo importante porque Santa Catarina está acompanhando a recuperação das demais unidades da federação”, destaca o diretor de Trabalho, Emprego e Renda, Thales Sander Piovesan