Foto: Elvis Palma/Divulgação/Notisul
Foto: Elvis Palma/Divulgação/Notisul

Jailson Vieira
Tubarão

Foram fechadas mais de 43 mil vagas formais de emprego em março no Brasil, conforme dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados ontem pelo Ministério da Economia. De acordo com o relatório, no total, foram 43.196 empregos com carteira assinada a menos, resultado da realização de 1.304.373 demissões contra somente 1.261.177 admissões.
Na região, a maior cidade da Amurel, Tubarão fechou março com saldo negativo de 548 vagas.

Foram admitidos 1.619 profissionais e desligados 2.167. Em Imbituba, as baixas foram maiores que as contratações. Em um total de 412 contratações e 595 demissões, o que gerou um saldo negativo de 183 empregos. Já em Laguna, a situação não foi diferente. Os mais diversos setores da Cidade Juliana contrataram 205 trabalhadores, porém, demitiram 413, o que resultou em um saldo negativo de 208 contratações.

A estagnação na geração de empregos também é observada em diversos municípios de Santa Catarina. Em todo o Estado, o saldo de empregos formais no período ficou em 2.976 vagas negativas. Foram contratados 88.362 trabalhadores, no entanto, foram desligados 91.338.

Em todo o país, a maior perda registrada em março foi no setor de comércio, que apresentou uma redução de 28.803 vagas, seguido de agropecuária (-9.545), construção civil (-7.781), indústria da transformação (-3.080) e serviços industriais de utilidade pública (-662). Três setores tiveram resultados positivos: serviços (4.572), administração pública (1.575) e extrativa mineral (528).

O salário médio das admissões registradas em março ficou em R$ 1.571,58, valor que, se comparado ao mesmo período do ano anterior, representa perda real de R$ 8,10 (-0,51%). Já o salário médio que era pago no momento da demissão apresenta queda maior, de R$ 29,28 na comparação com março de 2018 – valor que representa perda real de -1,69%.