Um cachorro cuidado pelos moradores de Nova Hartz, no Rio Grande do Sul, foi torturado e levou um tiro na cabeça. No entanto, o animal, que teve seu pênis arrancado durante a sessão de agressões, sobreviveu.

O crime ocorreu no último sábado (13), e dois suspeitos foram interrogados pela polícia.

O animal, que não tem raça definida, é chamado de “Sorriso” pelos moradores devido à sua personalidade dócil e brincalhona. Uma protetora de animais da região, que não quis se identificar, afirmou que o cão sofreu traumatismo craniano, lesão peniana e múltiplas lesões na cabeça.

Sorriso foi levado para uma clínica veterinária e ainda está internado sob observação, com estado de saúde estável. Assim que tiver alta, Sorriso estará disponível para adoção.

A Polícia Civil informou que dois homens são suspeitos do crime, mas negam as acusações. “Eles já foram conduzidos até a delegacia e ouvidos. Estavam acompanhados por advogados e negaram a autoria do crime. Por se tratar de crime de menor potencial ofensivo, irão responder termo circunstanciado por crueldade contra animais. Não cabe prisão”, explicou o delegado responsável pela investigação ao portal UOL, Fernando Pires Branco.

O delegado ainda afirmou que a investigação está “anexando elementos, como o laudo veterinário, e tomando depoimentos de testemunhas para fechar o procedimento e encaminhar ao Judiciário”. Segundo ele, “o fato chegou inicialmente ao nosso conhecimento pelas redes sociais e efetuamos o registro de ocorrência”.

Algumas testemunhas apontaram um funcionário de um mercado do bairro como um dos agressores. Ele foi afastado das suas funções após a denúncia.