Zahyra Mattar
Tubarão

Em muitas cidades do estado, equipes da Vigilância Sanitária vistoriam clínicas estéticas e salões de beleza para colocar em prática uma medida da Anvisa que passou a valer na quarta-feira da última semana: trata-se da proibição de câmaras de bronzeamento artificial nestes estabelecimentos.

Em Tubarão, a Vigilância Sanitária começará a fiscalização nesta semana. Assim como em outros municípios, será feita a devida orientação sobre a nova regra e as máquinas serão lacradas. As clínicas e salões que não cumprirem a decisão estão sujeitas a penalidades que vão desde advertência, interdição e multas que variam de R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.

Para as proprietárias de clínicas e salões, a medida é válida, mas ainda um pouco vaga com o seu objetivo. O questionamento é sobre o estudo da OMS, que não leva em conta a realidade brasileira onde a população cresce exposta ao sol.

Na clínica de beleza de Sara Salvalagio, em Tubarão, a máquina de bronzeamento parou de funcionar já na semana passada. “Minhas clientes são pessoas que não têm tempo de ir à praia. A proibição foi sob a argumentação de causar câncer de pele, mas não acredito que as pessoas deixarão de tomar sol. Ainda mais no nosso país, onde pele bronzeada é moda”, avalia Sara, uma das sócias-proprietárias do estabelecimento.
O movimento na clínica de Sara era grande. Eram feitas, em média, 100 sessões de bronzeamento por semana. O bronzeado durava entre cinco e oito semanas. “A alternativa é o bronze a jato, que não tem nenhuma contraindicação e chega-se à cor máxima em apenas uma aplicação”, indica Sara.

A proibição
A Anvisa proibiu o uso das câmaras de bronzeamento artificial com base em um estudo da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer, órgão ligado à OMS, que indica que a prática do bronzeamento artificial aumenta em 75% o risco do desenvolvimento de melanoma em pessoas que se submetem ao procedimento até os 35 anos de idade. A partir de agora, estes equipamentos poderão ser utilizados apenas em consultórios médicos e odontológicos.