Uma advogada de Porto Velho, Rondônia, construiu um bebedouro no muro da casa dela para matar a sede de moradores em situação de rua e pedestres que passarem pela calçada.

Detalhe: o bebedouro tem água gelada, porque lá faz muito calor. Márcia Regina Pini mora no bairro São Cristóvão e queria dar água às pessoas sem que elas precisassem tocar a campainha.

A ideia surgiu depois de saber que muitos moradores em situação rua sofrem com problemas renais por não beberem a quantidade suficiente de água que o ser humano precisa.

 

“Não só para atender essa população, mas qualquer pessoa que passar. Afinal, a água é a fonte da vida. A sede é uma tortura”, contou Márcia ao G1.

O bebedouro

Para construiu o bebedouro, ela comprou no ano passado uma pia, uma torneira e um equipamento para manter a água gelada.

A decoração de azulejos foi montada pela própria advogada. “Eu quis fazer uma arte e tinha alguns restos desse material, planejei e acabou saindo. Lembra uma tulipa”.

A advogada lembra que, há 6 meses, quando o bebedouro ficou pronto, a ideia foi recebida com desconfiança por alguns familiares e vizinhos. Mas logo eles perceberam a relevância da ação.

“Às vezes as pessoas têm medo, ficam preocupadas, mas a população de rua não é violenta. Hoje, a gente vê pessoas passando, enchendo a garrafinha e eu fico feliz de poder contribuir”.

Diariamente, a advogada e os familiares limpam o bebedouro e colocam copos descartáveis.

Márcia conta que a vigilância sanitária já visitou o imóvel, conferiu o funcionamento e bebeu da fonte.

Deu certo

O auxiliar de serviços gerais Márcio Kluska (foto acima) se surpreendeu ao perceber a fonte de água gelada no muro.

“Já me ajudou, matou minha sede”, disse.

O autônomo Richardson Bemer passou pelo local e refletiu:

“Fiquei muito surpreso de ver pessoas assim se solidarizando com as outras. Muitas pessoas não têm dinheiro pra comprar uma água engarrafada e esse bebedouro ajuda”, concluiu.