Wagner da Silva
B. do Norte

Os advogados do PP protocolaram, no fim da tarde de ontem, a defesa do prefeito Evanísio Uliano, o Vânio, no recurso contra a expedição do seu diploma e do vice, Valberto Wiggers Michels (PT). A ação foi ajuizada pela coligação “Com a força do povo”, formada por PMDB, DEM, PTB, PDT, PPS, PSB e PRB, partidos derrotados na eleição suplementar.

A ação foi movida após conclusão de investigação de quatro inquéritos policiais. “Trabalhamos com o resultado das investigações policiais e as observações feitas pelos delegados que reuniram provas e, assim, entramos com a ação”, destaca o advogado do PMDB, Cristian Uliano Perin.
O advogado de defesa, Valmir Meurer Isidoro, contestará as provas. “As ações foram movidas sem investigação judicial eleitoral e, após a divulgação de resultado, o que mostra que as mesmas têm caráter político e tentam prejudicar o candidato eleito”, declara Valmir.

Na ação, Valmir contesta o fato do processo não considerar os partidos da coligação. “Há também ações movidas contra as pessoas de Vânio e Valberto, sem citar os partidos, o que deixa a coligação sem propiciar defesa direta, já que estes são os maiores interessados no resultado do pleito”, argumenta. O advogado diz que os supostos beneficiados não são apontados. “Os fatos são inverídicos, principalmente por não apontarem quem são os supostos aliciados. Eles estão perseguindo uma classe menos favorecida com objetivo de criar falsas provas, faltando com a verdade”, avalia.