Braço do Norte está desenvolvendo neste momento, duas novas ações para o enfrentamento à Covid-19. Uma na área da Saúde e outra do Social e Educação.

A primeira é a aquisição de dois mil testes, que já são aplicados no Centro de Triagem, localizado na Estratégia Básica de Saúde (ESF) São Francisco de Assis, no bairro que leva o mesmo nome. Os testes ao custo de R$ 59 cada, totalizando R$ 118 mil, foram adquiridos com recursos vindos da União, específicos para o combate à pandemia.

O Centro de Triagem já recebeu, desde a sua abertura, em 25 de março, até esta quinta-feira (2), 4513 pessoas. Para o paciente ser atendido ele deve ligar para o Alô Braço do Norte, nos números (48) 3658-2646 ou 99937-1450, e após passar pela triagem da equipe médica. Em seguida, se a equipe avaliar necessário é realizado o teste, que fica pronto 24 horas após a coleta de sangue.

Além disso, o município intensifica o número de testes, por consequência, há aumento no número de casos, pois mais testes são realizados. Com isso, o tratamento de doentes ativos é intensificado por meio da Vigilância Epidemiológica, auxiliando na não proliferação de mais casos e no monitoramento até a recuperação dos pacientes.

A segunda ação é realizada em parceria entre a Secretaria de Educação, através da CME, Secretaria de Assistência Social e Saúde. O Alô Melhor Idade é um projeto desenvolvido para dar atenção aos idosos braçonortenses durante à pandemia.

O Alô Melhor Idade, que iniciou na segunda-feira (29), tem por finalidade fazer contato via telefone com os idosos, orientando em relação a alimentação, exercício e psicologicamente.

A ligação é feita pelos profissionais de Educação Física da CME, para uma lista disponibilizada pela Secretaria de Assistência Social, porém, qualquer idoso que sentir necessidade de conversar poderá ligar para o número (48) 99937-1538, de segunda a sexta, das 13 às 17 horas.

Os casos que necessitarem de assistência serão encaminhados a um especialista da prefeitura, podendo ser um psicólogo, assistente social, professor, fisioterapeuta, equipe de ESF, dependendo do caso, que se deslocarão até a residência para fazer o devido atendimento. A intenção é que o projeto faça contato com pelo menos 90% dos idosos cadastrados na Assistência Social.