Zahyra Mattar
Sangão

A parada no ritmo das obras de duplicação no trecho sul da BR-101 já fazia parte do programado pelas empreiteiras responsáveis pelos nove lotes de pistas. Os três dias em que poucas frentes de trabalho foram vistas não impactarão sobre o cronograma.
Ontem, as empresas retornaram com maquinário pesado e várias frentes de trabalho. No Lote 25 (Laguna a Capivari de Baixo), o consórcio Blokos/Emparsanco/Araguaia retomou a terraplenagem em pontos onde não era possível ser atacada por conta de grande fluxo de veículos no feriado.

Em Tubarão, as obras nos dois viadutos (o principal na avenida Patrício Lima, e o de acesso sul no Morrotes) também recomeçaram. O mesmo pode ser observado nas ruas marginais, que são preparadas para serem feitos os novos desvios, a fim de concluir um dos lados do viaduto central.

No trecho de Sangão, terminaram ontem as obras de construção das proteções de concreto nas ruas marginais à rodovia (sentido sul-norte). As barreiras fixas do tipo ‘New Jersey’ são as mesmas utilizadas para a separação das faixas nos trechos duplicados. Nas ruas laterais, os recursos funcionam como equipamentos de segurança para evitar acidentes causados por queda de veículos ou de pedestres.

Atenção

• Esta semana, o motorista que trafega pela BR-101 deve também duplicar a atenção nos acessos e nas ruas laterais à rodovia, especialmente nos locais onde é feita a instalação das barreiras fixas, já que os trabalhos são feitos sobre a pista.

• Os trechos considerados mais complicados e perigosos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) é em Maracajá (quilômetro 410), na entrada de Tubarão (quilômetro 336) e no trevo do Mirim, em Imbituba (quilômetro 284).

• Em Laguna, o trabalho de limpeza e a operação tapa-buracos entre os quilômetros 315 e 317 (pista antiga) iniciou ontem. É necessário que os usuários reduzam a velocidade no trecho, pois o trânsito é feito em meia pista, com a liberação do tráfego sendo intercalada em períodos de 20 minutos.