Carolina Carradore
Tubarão

Uma semana depois da Vigilância Sanitária de Tubarão ter anunciado uma varredura nos estabelecimentos comerciais, galões de água mineral retornáveis vencidos ainda são encontrados em vários mercados da cidade. O diretor do órgão fiscalizador, Elias Gonçalves, é claro: não há como fazer um trabalho forte de uma hora para outra.

“O consumidor ainda vai encontrar muitos galões vencidos. O jeito é ficar de olho e não comprar. Nosso trabalho não é recolher as bombonas, e sim orientar os comerciantes a não vendê-las”, afirma Elias.

O primeiro passo da Vigilância Sanitária é proibir as distribuidoras de água de comercializarem garrafões de água mineral com mais de três anos de uso, conforme determina a portaria 387/2008, do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), em vigor desde setembro do ano passado.

Mas o trabalho de descarte fica por conta das próprias empresas, e não da vigilância, segundo informa Elias. “Não recolhemos nada. As distribuidoras são orientadas para reciclar esse material inutilizado”, ressalta. Vale lembrar que o produto pode ser reciclado em qualquer outro material, menos voltar para o armazenamento de água.

Já a fiscalização nas envasadoras, é de responsabilidade do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). “Se o departamento não consegue fazer suas adequações, não é a vigilância que vai conseguir em curto espaço de tempo”, dispara Elias.
E o estabelecimento que for pego com bombona vencida ainda pode escapar da multa. Segundo o chefe da vigilância, somente após da segunda visita, se o comércio insistir em vender os garrafões com mais de três anos de uso, é que as multas serão aplicadas.

Saúde
No mês passado, a vigilância enviou ofício a todas as distribuidoras e envasadoras de Tubarão, a fim de orientar para que sejam retiradas de circulação as bombonas com prazo de validade vencido. A utilização destes recipientes por mais de três anos pode gerar contaminação da água e, consequentemente, problemas à saúde do consumidor. Garrafões, por exemplo, datados em agosto de 2007, terão que ser retirados de circulação nos próximos dias.

População preocupada com a saúde

Você verifica a data de validade do galão de água mineral retornável utilizado para o consumo de sua família? A prática é importante para garantir a saúde de sua família. A gerente de vendas Roselei Souto Camargo, 40 anos, desconhecia essa validade de três anos de vida útil das bombonas.

“Eu até percebo que muitas vêm surradas, com aspecto mais velho, mas nunca imaginei que poderia prejudicar a água que bebemos”, conta. Agora que já foi informada, Roselei passará a observar a data de validade dos galões. “Bombonas vencidas nunca mais”, garante.