Biguaçu

A cadeirante Fabiana Costa, 40, foi atropelada na faixa de pedestres às 17h30 da tarde da última terça-feira (27/02) quando tentava atravessar a lateral da BR-101 na entrada do Jardim São Nicolau, no centro de Biguaçu.

Felizmente ela não se machucou nem teve sua cadeira quebrada. Mas foi um tremendo susto. O carro dirigido por um senhor idoso, cuja visão estava momentaneamente embaçada por causa da chuva, teve tempo de frear, mas a cadeirante foi atingida, mas de leve. Se o susto já não o bastasse, para piorar, o viaduto do Jardim São Nicolau esta inundado.

Fabiana mora na rua Júlio Teodoro Martins, no bairro Fundos. Ela vai de cadeira de rodas motorizada da sua casa até a frente da agência do Banco do Brasil, no centro de Biguaçu.

Fabiana faz todo esse percurso literalmente dirigindo sua cadeira de rodas. Seu “luxo” é que a cadeira é movida a bateria. No entanto, ela não anda pela calçada. Pelo contrário. Ela é obrigada a dirigir sua cadeira pelas ruas no meio do trânsito porque não existe calçadas adaptadas em Biguaçu. 

As calçadas são muito irregulares e ela não tem como andar por cima delas porque estão repletas de desníveis, buracos, lajotas quebradas, mudanças de pavimentação etc. Por isso, ela é obrigada a literalmente arriscar a vida tendo de se locomover no meio dos carros. 

TRABALHO

Apesar da imobilidade física, Fabiana não pede esmola nem está reclamando da vida. Ela trabalha diariamente vendendo balas, chicletes e doces com sua cadeira. E com este trabalho que ela sustenta a família.

Diariamente ela vai e volta dirigindo sua cadeira. Fabiana prefere trabalhar na frente da agência do BB porque ali tem um movimentado ponto de ônibus. Ela conquistou muitos clientes.