O número da população felina e canina sem lar é impressionante! Esses animais sobrevivem devido à ação de voluntários e por meio de colaboração de representantes das ONGs.

Jailson Vieira
Capivari de Baixo

Calças, bermudas, camisas, saias, vestidos compridos ou curtos, pequenos, grandes ou médios. Toda essa variedade transformou uma das salas do Ginásio Juan Manuel dos Santos, no centro de Capivari de Baixo, no último fim de semana. As peças, coletadas pela ONG Faro Animal, fizeram parte do bazar beneficente em prol dos animais de rua.

As roupas foram vendidas por um valor simbólico e estavam em bom estado de conservação. Calçados, livros, utensílios domésticos e produtos de decoração também foram comercializados. O objetivo é arrecadar fundos para auxiliar na alimentação e tratamentos dos animais resgatados da rua.

Uma iniciativa que colabora com as melhorias idealizadas pelo grupo é a castração dos animais, por exemplo, que ajudará e muito no controle populacional de cachorros e gatos, e evita sofrimento de outros animais. Além do bazar, os organizadores também incentivam a adoção solidária com a feira de filhotes.

De acordo com Zulmar Terezinha, a Mazinha, que ajudou no bazar, se algumas atitudes não fossem tomadas nos últimos anos, a taxa de natalidade de cachorros, por exemplo, seria três ou quatro vezes maior no município. “Já realizamos centenas de castrações. A população canina nas ruas, hoje, em Capivari, é de 600 a 800 indivíduos. Esse número seria muito maior se não fossem nossas iniciativas”, alerta Mazinha.

No próximo mês, o bazar deverá ocorrer novamente. A data, conforme Mazinha, ainda não foi marcada. Na adoção, os responsáveis pelos animais preenchem uma ficha cadastral e os cães e gatos são acompanhados pela organização por algum período.