Grande parte das agências bancárias, em Tubarão, registrou formação de filas hoje (3). Em alguns casos, a fila era tão longa que as pessoas preenchiam uma considerável extensão nas calçadas. O principal motivo: a restrição rigorosa e gradativa no número de entrada de clientes nos bancos, um de cada vez, de acordo com o fluxo nos caixas (rodízio), entre outros que poderiam estar no local em vão.

Dúvidas e questionamentos dos mais variáveis sobre os tipos de serviços disponíveis em cada banco eram nítidos entre os clientes, que a todo momento tentavam conseguir informações. A questão de atendimentos prioritários, como grávidas, idosos e pessoas com doenças (os que estão em situação de risco), foi outro fator que também contribuiu para a ansiedade entre os que aguardavam do lado de fora, para atendimento. Mas essa definição (por prioridade) somente ocorria após a entrada no banco.

Foi constatado pela reportagem que funcionários dos bancos se empenhavam bastante para controlar a situação. Os profissionais se dirigiam a todo momento nas filas nas ruas para tirar as dúvidas de clientes, orientá-los e fazer uma triagem para direcioná-los ao atendimento.

Em meio a isso, bancários também pediam constantemente a distância obrigatória entre as pessoas que estavam nas filas na rua, o que infelizmente muitas não obedeciam. Assim como já esclareciam que o auxílio de R$ 600 ainda não está disponível, somente na próxima semana é que o governo de SC irá se manifestar para dizer como vai funcionar os pagamentos.

Tipos de serviços atendidos presencialmente nos bancos:

CEF: Saques sem cartão, pagamentos do INSS, bolsa-família, seguro-desemprego e FGTS

Bradesco: Somente atendimentos emergenciais para quem não tem cartão para receber benefícios

*Há uma diferença nos serviços disponíveis entre bancos públicos e privados

Os bancos são fiscalizados pela Vigilância Sanitária e Polícia Militar.