No ano passado, só duas das 45 agências da base do sindicato de Tubarão não paralisaram as atividades.
No ano passado, só duas das 45 agências da base do sindicato de Tubarão não paralisaram as atividades.

Zahyra Mattar
Tubarão

Os mais de 500 trabalhadores das 45 agências que compõem a base do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (SEEBTR) decidem na próxima quarta-feira se irão, ou não, paralisar as atividades. Caso cruzem os braços, será por tempo indeterminado e a partir de quinta-feira.

A base de Laguna, composta por aproximadamente 120 trabalhadores associados ao sindicato, também fará assembleias na próxima quarta. As negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) iniciaram no mês passado. Esta semana, os bancos sinalizaram uma contraproposta, cujo teor foi rejeitado ainda na mesa de negociação.

Os sindicalistas consideram os termos muito abaixo das reivindicações. “Agora, cabe aos trabalhadores referendarem, ou não, a decisão dos dirigentes”, resume o presidente do SEEBTR, Armando Machado Filho.

Os trabalhadores pedem, entre outras cláusulas sindicais, reajuste de 11% nos salários e participação nos lucros e resultados. As instituições financeiras ofereceram 4,29% de aumento, cujo índice fica abaixo da inflação do mês passado (4,49%). “Com isso, não temos ganho real de aumento”, destaca Armando.

Assembleias

Base de Tubarão
A reunião para definir se a proposta feita pelos bancos será aceita ou rejeitada ocorre na próxima quarta-feira, às 18h30min, na sede do sindicato.
Participam: Tubarão (sede), Armazém, Braço do Norte, Capivari de Baixo, Grão-Pará, Gravatal, Jaguaruna, Lauro Müller, Orleans, Pedras Grandes, Rio Fortuna, Santa Rosa de Lima, São Ludgero, São Martinho, Treze de Maio e Sangão.

Base de Laguna
Duas assembleias ocorrerão. A primeira, em Laguna, na sede do sindicato, às 18 horas. A outra, na escola Henrique Lage, em Imbituba, às 20 horas.
Participam: Laguna (sede), Imbituba e Imaruí.

Trabalhadores da Cidasc e Epagri
rejeitam proposta do governo

A assembleia estadual feita ontem em Lages, pelos servidores da Epagri e da Cidasc, terminou com a rejeição da contraproposta feita pelo governo do estado à pauta de reivindicação da categoria.

Dos 400 trabalhadores que compareceram, apenas cinco aceitaram a proposta salarial do estado. Entre as principais reivindicações, estão a garantia de emprego de 14 meses a partir de 13 de maio de 2011 e o reajuste de R$ 2,00 no vale alimentação. A partir da próxima semana, os trabalhadores intensificarão as mobilizações por todo o estado.