Amanda Menger
Laguna

Quem pretende usar a estrada que liga a balsa, em Laguna, ao Camacho, em Jaguaruna, pode planejar em outra rota. O acesso será fechado hoje, às 8 horas por tempo indeterminado, próximo à balsa. O protesto é organizado pelas 16 associações de moradores da região da Ilha. Só poderão passar ambulâncias e veículos que transportarem doentes. São esperadas mais de 400 pessoas.

A expectativa era que o governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) lançasse a licitação para a pavimentação dos 18 quilômetros entre a balsa e a ponte do Camacho, com um ramal para o Farol de Santa Marta, sexta-feira, durante a inauguração da obra da SC-487, a estrada do Camacho. Contudo, a licitação não foi lançada, um morador tentou agredir o governador e outro discutiu com o deputado federal Edinho Bez (PMDB).

“Esta mobilização não é um protesto contra o governador. Ficamos frustrados porque a licitação não foi lançada, mas o que nos chateou mais foi que ninguém explicou qual é o problema. O que sabemos é o que foi publicado no Notisul. Mas, em momento algum, reuniram a comunidade para esclarecer quais eram os entraves ambientais e o quais as providências que seriam tomadas para resolvê-los”, afirma uma das líderes comunitárias, Maria Aparecida dos Santos Ramos, a Cida.

Segundo Cida, a organização é apartidária. “Saíram boatos de que recebemos patrocínio de partidos da oposição. Isso não é verdade. Tudo o que gastamos é pago com a contribuição dos associados e de comerciantes. Vários turistas, durante o feriado, fizeram doações. Eles reclamam da estrada: ‘Depois de uns dias nós vamos embora, e vocês ficam na poeira e na lama o ano inteiro’. A nossa mobilização é popular”, garante Cida.

Entenda o caso

• O trecho a ser pavimentado tem 18 quilômetros. Começa logo após a balsa, em Laguna, e vai até a divisa com Jaguaruna, na ponte do Camacho, com um ramal para o Farol de Santa Marta.
• A obra está orçada em R$ 18 milhões. Esta é a segunda etapa da futura SC-100, a Rodovia Interpraias, que ligará o litoral sul catarinense, entre Laguna e Passo de Torres. A primeira parte foi inaugurada sexta-feira: a pavimentação asfáltica de 18,5 quilômetros da SC-487, a estrada do Camacho, entre o centro de Jaguaruna e o balneário Camacho.

• O processo de licenciamento ambiental arrasta-se desde 2007. Técnicos do escritório da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, em Imbituba, constataram falhas no relatório de impacto ambiental EIA/Rima. Eles solicitaram documentos complementares ainda em 2007. Os documentos foram entregues em março deste ano, após uma audiência pública na câmara de Laguna.

• O relatório da APA foi favorável ao licenciamento. O parecer foi encaminhado ao Instituto Chico Mendes (IcmBio), em Brasília para ser referendado. Eles fizeram uma série de condicionantes. Entre eles, o monitoramento dos pássaros, um plano altimétrico de toda a APA da Baleia Franca (de Florianópolis ao Rincão) e a batimetria de todos os rios e lagos que circundam a rodovia.

• Para atender todas as condicionantes, será necessário desembolsar R$ 16 milhões, o que irá praticamente dobra o valor da obra, de R$ 18 milhões para R$ 34 milhões. O governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) disse que as condicionantes são absurdas, mas comprometeu-se em continuar as negociações com o IcmBio.