Dois aviões da frota presidencial decolaram do Brasil nesta quarta para buscar 29 pessoas que estão isoladas no epicentro da epidemia de coronavírus, em Wuhan, na China. No grupo, há quatro chineses que são parentes dos brasileiros que serão repatriados. A previsão é de que eles retornem ao País no próximo sábado. O Ministério da Saúde já havia anunciado que os repatriados passariam por quarentena de 18 dias, na base aérea de Anápolis, em Goiás.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a princípio, todos ficarão no mesmo local, civis e militares. As aeronaves da embraer, conhecidas na Força Aérea como VC-2 deixaram o solo brasileiro por volta das 12h22 e, antes de chegar à cidade destino, farão escala em Fortaleza, Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia) e Ürümqi (já na China). Elas devem levar 62 horas no processo de ida e volta.

No retorno, passarão pelas mesmas cidades. “As pessoas que vão embarcar na China estão sadias e sem evidência da doença. Na chegada ao Brasil, serão feitos exames para identificar quaisquer problemas”, disse o responsável pela missão, brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno.