Wagner da Silva
Braço do Norte

A avenida Getulio Vargas, no centro de Braço do Norte, é um dos maiores problemas quando o assunto são as ruas do município. Moradores, comerciantes e motoristas reivindicam uma solução para os alagamentos e outros problemas há anos. Porém, a obra, considerada pela maioria da população como de suma importância para dar maior trafegabilidade no centro, é sempre deixada de lado pela administração pública.

A estrada, de paralelepípedos, fica em um dos bairros centrais, o Santa Augusta, e é utilizada como acesso principal para a comunidade do Pinheiral, reduto de propriedades agrícolas e agropecuárias, fortes contribuidoras para a economia. Com estas atividades, a circulação de carretas e bi-trens pela avenida Getúlio Vargas é intensa.

Além disso, segundo o presidente da Associação dos Moradores do Bairro Santa Augusta, Antônio Lima da Silva, a comunidade é um ‘gargalo’ dos morros. “Quando chove, por falta de canalização adequada, a água invade as casas e traz prejuízos para os moradores e para os motoristas. É uma rua que nunca recebeu manutenção, tem um aspecto feio e mal cuidado”, pontua o presidente.

Antônio, porém, ressalta que não basta asfaltar a rua – ou recuperar totalmente o calçamento. O local precisa ser revitalizado. “Limpeza dos terrenos, padronização das calçadas, entre outras ações, são fundamentais para que a própria população e os comerciantes ajudem a termos uma cidade mais bonita e organizada”, sugere.

Uma solução seria a construção do anel viário
O trabalho de manutenção periódica da avenida Getúlio Vargas, no centro de Braço do Norte, poderia resolver alguns problemas na rua. Porém, a solução definitiva seria a construção de anel viário do município, aponta o presidente da Associação de Moradores do Bairro Santa Augusta, Antônio Lima da Silva.

A obra é sempre ponto integrante das rodas de discussão na administração pública e entre a classe empresarial da cidade, mas ainda esbarra na falta de comprometimento. “Não foi feito um projeto de preservação da estrada. Enquanto o anel viário não sair do papel, várias ruas terão o mesmo problema de alagamento, por exemplo. Falta coragem para fazer um projeto arrojado para a canalização do córrego Santa Augusta e para o asfaltamento da avenida”, avalia Antônio.

O prefeito interino de Braço do Norte, Ronaldo Fornazza (DEM), admite o problema e informa que uma equipe da empresa Ceal Consultoria, de Florianópolis, esteve no local para analisar as condições da avenida. “Uma equipe formada por um engenheiro e topógrafos levanta informações desde a base até a análise de solo e pavimentação. Assim que o estudo e o projeto estiverem prontos, buscaremos recursos financeiros para a execução da obra”, garante o prefeito interino.