O autor do disparo que matou Bentinha Esmeraldino da Conceição, de 57 anos, na localidade de Vila Esperança, em Grão-Pará, nesta terça-feira (4), ainda não foi localizado. O homem mora próximo da casa da vítima. Além dele, outro homem participou ativamente do ocorrido. Os dois suspeitos fugiram após o crime.

Conforme a Polícia Militar (PM), Bentinha ouviu uma briga na casa do vizinho e foi para a rua tentar descobrir o que ocorria. Havia uma briga entre dois moradores da localidade. O morador que seria o alvo dos tiros conseguiu entrar dentro de casa e não foi atingido. Já a mulher foi atingida.

A discussão entre dois vizinhos teria iniciado nesta terça-feira durante o dia. Policiais foram algumas vezes até o local e lavraram dois boletins de ocorrência.

De acordo com o advogado da vítima alvo do disparo, Gustavo Botega, do Acorsi e Botega Advogados Associados, de Tubarão, havia uma conversa descontraída entre os vizinhos Laerte Cândido e o esposo de Bentinha, Antônio Conceição. “O meu cliente e seu Antônio são vizinhos há alguns anos e sempre tiveram um bom relacionamento. Ontem pela manhã eles estavam conversando e essa pessoa que tentou atirar no Laerte chegou, começou a discutir com o meu cliente e ameaçá-lo de morte”, expõe.

Após o ocorrido, Laerte foi à delegacia e registrou um Boletim de Ocorrência (B.O). Assim que soube do registro, o autor dos disparos continuou a ameaçar outras pessoas, conforme relata o advogado. “O homem passou a andar armado pela localidade no período vespertino. Ele puxa a arma e começa a ameaçar a esposa do Laerte, a Taís e também outra vizinha. E saiu mostrando o objeto para outras pessoas”, conta.

No final do dia, segundo o profissional de direito, o seu cliente, a esposa e o filho deixaram a residência e retornaram ao local pouco depois, no entanto, foram surpreendidos pelo autor dos disparos e seu comparsa. “Laerte voltou para casa com a família, estacionou o carro e abri o portão para colocá-lo na garagem. A esposa e o filho entraram para a residência. Na hora que o meu cliente foi voltar para dentro do carro, os dois homens armados surgiram em um veículo, desceram e começaram a atirar. O Laerte correu. A vizinha foi para a rua e acabou atingida por dois tiros. Eles efetuaram 12 tiros”, detalha.

Conforme informações, um dos responsáveis pelos disparos trabalha como guarda em um prédio público do Estado, em Braço do Norte. “Vamos diligenciar com a polícia e o juizado em Braço do Norte, para que essas pessoas sejam presas. Eles são extremamente perigosos. Em momento algum tiveram medo ou receio de andarem armados e ameaçarem as pessoas. Foram para a rua e saíram atirando para qualquer lado. Vamos buscar uma condenação perante o Tribunal do Júri com uma pena no tamanho dos atos que eles praticaram”, enfatiza Botega.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul