O projeto de melhoramento fluvial do Rio Tubarão prevê obras de manutenção, aprofundamento e recuperação da calha  -   Foto:Prefeitura Tubarão/Divulgação/Notisul
O projeto de melhoramento fluvial do Rio Tubarão prevê obras de manutenção, aprofundamento e recuperação da calha - Foto:Prefeitura Tubarão/Divulgação/Notisul

Laguna

O Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) das obras de melhoramento fluvial na calha do rio Tubarão será apresentado pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma) em audiência pública no próximo dia 21. O evento será realizado às 19 horas no auditório principal da Udesc, em Laguna.

 A audiência, promovida pela Fundação, faz parte do processo de licenciamento. Técnicos e os responsáveis pelo projeto expõem o empreendimento e esclarecem as dúvidas. “É o momento em que a comunidade pode questionar e fazer sugestões diretamente para o empreendedor e para a Fatma”, esclarece o presidente da Fundação, Alexandre Waltrick Rates.

As obras são de responsabilidade da Secretaria de Estado da Defesa Civil e, antes da audiência, a população pode consultar o Rima. O documento está à disposição em Laguna, na prefeitura, no setor administrativo, e na Biblioteca Professor Romeu Ulysséa. Em Tubarão, na prefeitura, na Biblioteca Pública Municipal Olavo Bilac e na Secretaria de Proteção e Defesa Civil. 

Em Capivari de Baixo, na prefeitura e na Biblioteca Pública Municipal. Em Florianópolis, na biblioteca da Fatma. 

Rima
O Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (Rima) apresenta informações relativas ao projeto que está previsto para a região: as obras de melhoramento fluvial no canal retificado do Rio Tubarão, dragado e retificado na década de 1980, localizado entre os municípios de Tubarão, Capivari de Baixo e Laguna, no sul de Santa Catarina. O Rima traduz-se em um resumo simplificado do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), submetido à Fundação do Meio Ambiente (Fatma) para o licenciamento ambiental do projeto que trata das obras de manutenção, aprofundamento e recuperação da calha do Rio Tubarão, no trecho entre a ponte da BR-101 e a foz do rio, e na Lagoa de Santo Antônio dos Anjos, em Laguna, considerando ainda uma continuidade da dragagem até a Barra da Laguna.
Por meio deste documento é possível conferir as interferências que as obras previstas ocasionarão, podendo visualizar, além dos benefícios, também as consequências ao meio ambiente e ao cotidiano das comunidades atingidas, algumas temporárias e outras mais duradouras.