O casal Roni e Bárbara transformaram a garagem de casa, no bairro Fábio Silva, em Tubarão, em ateliê.
O casal Roni e Bárbara transformaram a garagem de casa, no bairro Fábio Silva, em Tubarão, em ateliê.

Carolina Carradore
Tubarão

Com apenas dois ou três formões e um martelo de borracha, o artesão Roni Mazzuco, 50 anos, transforma pedaços de madeira em verdadeiras obras de arte. Com a ajuda da esposa, Bárbara Sabino Matos, 54, o talento do casal ganha as mais variadas formas, desde placas até altares com imagens sacras. O trabalho é vendido para todo o país. Em Tubarão, eles expõe as peças duas vezes por semana na Casa da Cidade.

Para Roni, a paixão em esculpir madeira começou em casa, em 1982. Seu irmão já talhava portas e o ensinou a técnica. Aos poucos ele foi desenvolvendo a arte e hoje é assim que Roni e Bárbara garantem seu sustento. A garagem da casa, no bairro Fábio Silva, foi transformada em ateliê. “É só me dar a foto que desenho e talho na madeira, não importa o tamanho”, assegura o artesão. Enquanto ele dá forma à madeira, ela trata de lixar, pintar e envernizar as peças.

O trabalho do casal é tão detalhista e reconhecido, que até mesmo os feriados são sacrificados para dar conta de tantos pedidos. “Não temos dia ou hora para trabalhar. São muitos pedidos e, para dar conta de todos e ainda garantir qualidade, trabalhos até aos fins de semana. Mas é recompensador”, valoriza Roni.

Ainda que façam qualquer tipo de peça em madeira, o serviço preferido são as obras sacras. “Já fiz esculturas em nove igrejas. É um satisfação ver nosso trabalho nos altares”, comemora.
Um dos trabalhos deste tipo de maior destaque está na igreja de Mato Alto, em Tubarão. Trata-se de um biombo de três metros de altura, quatro metros e meio de comprimento e 18 centímetros de espessura. “Entalhei a imagem de Jesus na cruz e vários outros detalhes sacros. Levamos um mês para fazê-la”, lembra Roni, orgulhoso.