Carolina Carradore
Tubarão

Desde criança, a eco designer Fernanda Pinho Mezadri nutria uma simpatia com a natureza. Aprendeu com a mãe a ter medidas simples de preservação do meio ambiente. Junto com o marido, Evandro Mezadri, construiu uma casa com padrões ecológicos inovadores em Tubarão. O projeto é do bioarquiteto Fabrício Fernandes Lorenzetti.

Localizada no bairro Passagem, a residência tem detalhes que iniciam pela altura, quase três de metros acima do solo. O objetivo é proteger a família em caso de enchente.

A casa tem uma cozinha ampla, dois quartos e dois banheiros. Tudo construído com material reciclado de qualidade. A começar pela madeira usada no piso e os vidros utilizados na porta de entrada e na janela da sala. “Reaproveitei os materiais usados que comprei bem abaixo do preço de mercado em lugares especializados”, conta Fernanda, que adaptou a casa de acordo com as necessidades da família. Os dois filhos, Helena, 5 anos, e Gabriel, 6, adoram todas as ideias que os pais colocam em prática.

Fernanda também quebrou os padrões de arquitetura e construiu a lavanderia ao lado da cozinha. Assim, ela aproveita o calor do fogão à lenha para aquecer e secar as roupas. Assim, economiza energia elétrica de secadoras de roupas em dias de chuva.
Mas o que chama mais a atenção na construção é a cisterna que capta água da chuva e passa por um filtro de raio ultravioleta. A água é potável e usada para o consumo da família.

Esgoto
A construção conta com um projeto hidrossanitário de esgoto, que utiliza a biorremediação (sistema de junco que faz o tratamento completo das águas descartadas da casa), sem precisar nunca estar ligado ao sistema público de esgoto.

Aquecimento global
A água do chuveiro é usada através do sistema de aquecimento solar com placas de PVC e garrafas pet. Fernanda Pinho Mezadri quer implantar uma nova ideia: pretende misturar a água da caixa d’água térmica com a água de temperatura ambiente para usar o equipamento também no verão. “Isso vai trazer uma economia tremenda”, comemora.

Outras alternativas usadas pela eco designer que fizeram a diferença na estética da residência foram as janelas, que eram de uma igreja do bairro Madre, demolida há alguns anos. Um charme à parte nos banheiros dormitórios.

O quarto do casal também tem um design diferente. Fernanda trocou a parede de tijolos que divide o cômodo e o closet por assoalhos. Além do bom gosto, a economia foi certeira. “Comprei por R$ 15,00 o metro do assoalho usado. Foi bem mais econômico e ficou legal”, relata.